Ônibus queimado
Reprodução
Ônibus queimado na Esplanada dos Ministérios

O homem que incendiou um ônibus na Esplanada dos Ministérios, na tarde de ontem, quinta-feira (25), disse que havia sido presidente do Banco Central e que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) devia R$ 2 bilhões para ele. O homem permanece preso na carceragem do Departamento de Polícia Especializada. O site 'Metrópoles' apurou que o nome do incendiário é Cláudio da Silva Lage.

Entenda

Claúdio ateou fogo em um ônibus na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, nesta quinta-feira (25). Em nota, a Polícia Militar informou que o homem “teria espalhado gasolina dentro do veículo e depois ateado fogo. Em seguida, ele desceu do ônibus e gritou "Fora, Bolsonaro".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários