Luis Gustavo Botto Maia
Reprodução
Luis Gustavo Botto Maia em encontro com mulher de Queiroz e a mãe do miliciano Adriano da Nóbrega

O advogado Luiz Gustavo Botto Maia, que exercia o cargo de assessor parlamentar na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foi exonerado do cargo nesta terça-feira (23).

Botto aparece na denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra Fabrício Queiroz e é apontado como alguém que teria tentando apagar os vestígios do crime de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Botto trabalhava no gabinete do deputado estadual Renato Zaca (sem partido). A exoneração ocorreu a pedido do próprio advogado.

Segundo as investigações do Ministério Público, Botto Maia e Fabrício Queiroz teriam atuado para atrapalhar as investigações sobre folhas de ponto de funcionários da Alerj. A inserção de assinaturas retroativas nos registros de ponto está entre as medidas que o MP-RJ investiga. 

    Veja Também

      Mostrar mais