Contrato previa 3 mil respiradores até o final deste mês
Reprodução Twitter
Contrato previa 3 mil respiradores até o final deste mês

O governo de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (16) o cancelamento da contra de 3 mil respiradores que seriam auxiliares para conter a pandemia da Covid-19 no estado, gerando mais leitos de UTI disponíveis. De acordo com o secretário de saúde José Henrique Germann, o o motivo seria a quebra de acordo por parte da intermediária britânica Harrison & Co.

Leia mais: 

"Com um dos fornecedores, o contrato terminou ontem e, nesse sentido, não houve a entrega total do que estava acordado. Em questão disso, está cancelado o contrato . Passaremos de uma fase operacional para uma jurídica de encerramento", afirmou Germann. Segundo ele, apenas 30% dos respiradores chegaram ao Brasil.

O contrato - no valor de US$ 100 milhões, com a parcela de US$ 44 milhões paga antecipadamente - assinado no dia 23 de abril, gerou uma investigação por parte do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado ( TCE ). As primeiras 500 unidades do equipamento deveriam ser entregues até o final de abril. 

No dia 5 de junho, questionado sobre a postura do estado a respeito de um possível atraso na entrega de respiradores, o governador João Doria foi incisivo ao afirmar que "se os respiradores não estiverem no porto de Santos ou no aeroporto de Guarulhos", a compra seria cancelada e os recursos deveriam ser devolvidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários