João Doria voltou a defender a democracia e criticou manifestações contra o STF
Agência Brasil
João Doria voltou a defender a democracia e criticou manifestações contra o STF

Em coletiva realizada nesta sexta-feira (29) no Palácio dos Bandeirantes, o governador João Doria (PSDB) criticou as manifestações feitas pelo presidente Bolsonaro (sem partido) e apoiadores ao Supremo Tribunal Federal, à imprensa e parlamentares, devido ao inquérito das Fake News - que resultou em buscas e apreensões em endereços acusados de disseminar notícias falsas.  

"Vamos parar com essa marcha da insensatez e com as ameaças à democracia e à liberdades fundamentais. Vamos respeitar o ser humano, vamos respeitar a história verdadeira, real, que não torna em glória regimes autoritários e ditadores", disse.

Veja mais: São Paulo terá 340 leitos divididos em 3 novos hospitais para tratar Covid-19

"Precisamos trocar o gabinete do ódio pelo gabinete do diálogo. Brasília precisa associar-se à razão, ao bom senso, trabalhar pelo entendimento nacional e por soluções aos problemas do povo. Precisamos de um governo de construção nacional, não de destruição nacional. O Brasil não será nazista, fascista ou comunista; será livre e democrático. A ditadura não vai voltar ao Brasil. Nós não deixaremos", complementou.

Ontem (29), em frente à residência oficial do Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que esse tipo de investigação não voltará a acontecer. "Acabou, p****. Me desculpem o desabafo. Acabou! Não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de forma quase que pessoal certas ações", bradou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários