jair bolsonaro olha para frente
Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro


Em entrevista à CNN Brasil, o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), afirmou que não há fala única entre governadores, prefeitos e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele disse ainda que o governo federal não oferece apoio para que estados possam combater pandemia do novo coronavírus .

Leia também: "Conter Covid-19 depende de liderança. Não temos", diz Rosangela Moro

"Faltou um discurso único, de liderança. Os estados estão à mercê de sua própria sorte, buscando aquisição de equipamentos, com uma dificuldade muito grande, com aproveitamento do mercado subindo preço de equipamentos”, informou o governador. Ele diz ainda que percebe “desencontro” entre falas de membros do governo federal.

Segundo Azevêdo, formou-se uma lacuna após a demissão de Luiz Henrique Mandetta (DEM) do Ministério da Saúde. "Durante esse período, a logística que estava sendo implementada para a aquisição de equipamentos foi suspensa, e implantou-se uma nova filosofia. Hoje, não temos respiradores chegando da China, e fabricam-se aqui 180, o que não representa nada.”

Leia também: Bolsonaro deve ampliar a lista de serviços essenciais para garantir retomada

Com mais de 2 mil infectados pela Covid-19 e 135 óbitos, Azevêdo afirma que não há possibilidades de afrouxar confinamento e que isso só ocorrerá com a “diminuição constante de casos a cada dia” e quando houver leitos de UTI disponíveis para todos.

Segundo o governador, a capacidade atualmente é de 55%. Mas em João Pessoa, por exemplo, esse número aumenta para 67% de leitos de UTI e 70% de leitos de enfermaria.

Pela falta de equipamentos e a não instalação de leitos de UTI, o estado ainda não conta com plano de contingência. “É preciso ter uma visão mais clara, consistente. Estamos subindo uma ladeira. Quando estivermos descendo, poderemos flexibilizar", finalizou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários