Marcelo Crivella
Fabiano Rocha / Agência O Globo
Medida visa realocar os idosos para ambientes isolados durante a pandemia de coronavírus.

Em decreto publicado em edição extra no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro nesta terça-feira, o prefeito Marcelo Crivella estabelece regras de como será o funcionamento de até 1 mil vagas destinadas a alojar idosos que vivem em favelas que serão realocados em hotéis durante a pandemia do coronavírus . O cadastramento das unidades será feito pela secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos. A diária máxima a ser paga pela prefeitura será de R$ 120, e terão que ser oferecidas três refeições diárias, divididas nos períodos da manhã, tarde e noite, a título de, respectivamente, café da manhã, almoço e jantar. Elas deverão ser servidas nos restaurantes dos estabelecimentos, mediante escalonamento em turnos e horários diversos, respeitando o espaçamento legal, de modo a evitar aglomeração dos idosos entre si.

Leia também: Presos paulistas vão fabricar máscaras de proteção

A acomodação desses idosos obedecerá a algumas regras, segundo explicou o prefeito, na manhã desta terça-feira, no Riocentro, durante apresentação de militares e de agentes da Cruz Vermelha que vão reforçar as equipes que vão vacinar os idosos em um posto Drive Trhu que está sendo montado no Centro de Convenções, localizado na Zona Oeste. A previsão de Crivella é que alguns desses idosos comecem a ser hospedados até a quinta-feira.

"Os quartos são para aquelas pessoas de alto risco para pegar a doença e estão em aglomerações, tem muita gente em casa. Quem vai identificá-los são nossas equipes de saúde da família", acrescentou o prefeito.

Crivella disse, ainda, que uma das ideias é organizar, na medida do possível, os idosos em núcleos familiares. Mas haverá algumas restrições em relação aos usuários que poderão ficar com as vagas. Aqueles que precisarem de atendimentos de cuidadores não poderão permanecer nos hotéis. Além disso, visitas de parentes serão proibidas durante o período da epidemia para evitar riscos de contágios.

Leia também: Covid-19: hospital que atendeu Bolsonaro omitiu nomes em lista de infectados

"Se for possível, nós teremos núcleos familiares nos hotéis em alguns casos. Exemplos: Duas irmãs idosas, podem ficar no mesmo quarto. Mas esses idosos têm que cuidar de si mesmos. Eles não podem depender de outras pessoas para tomar banho ou trocar fraudas, por exemplo O foco também são idosos que no passado tiveram doenças como asma, tuberculose, pneumonia. Imagine um idoso asmático e uma casa cheio de gente. Não dá. Mas no hotel só vão receber visita de médico e enfermeiros", disse o prefeito.

Ainda segundo o decreto, as unidades deverão disponibilizar:

  • O café da manhã terá padrão básico com café, leite, pão e/ou biscoito e manteiga;
  • Os cardápios do almoço e jantar deverão ter variações diárias, incluirão, cumulativamente e uma fonte de proteína acompanhada de carboidrato, além de salada de folhas, ou de legumes ou de frutas.
  • Os estabelecimentos deverão disponibilizar, diariamente uma garrafa de um litro e meio de água mineral aos hóspedes.

    Veja Também

      Mostrar mais