Coronavírus no Rio de Janeiro
Márcia Foletto / Agência O Globo
Tijuca é o bairro com a maior concentração de casos.

Na nova atualização da prefeitura do Rio, na tarde desta segunda-feira, a cidade contabiliza 207 casos confirmados do novo coronavírus . No boletim divulgado domingo, a capital tinha 170 notificações. O número de casos suspeitos é de 169. Não há óbitos confirmados até o momento. Deste total, 23 pessoas estão internadas, sendo 12 em UTIs. Ainda há 169 casos suspeitos.

Leia também: Olavo de Carvalho cria teoria da conspiração de que coronavírus não gerou mortes

No período de sete dias (17 a 23 de março), o crescimento de casos é de 245%. De sexta-feira até esta segunda-feira, o aumento foi de 120%. Somando aos números divulgados pela Secretaria estadual de Saúde do Rio, o estado registra agora um total de 223 casos. Até o momento, são três óbitos nas cidades de Niterói, Petrópolis e Miguel Pereira.

De acordo com os números atualizados, já são 33 bairros do Rio com casos confirmados. A maior concentração está na Barra da Tijuca, com 29, ainda com números de domingo.

Até domingo, a Zona Sul do Rio concentrava 88 casos, com destaque para Leblon (23), Ipanema (21) e São Conrado (11). No sábado, houve a confirmação do primeiro caso de coronavírus em favela do Rio. O registro é na Cidade de Deus, na Zona Oeste da cidade.

Morte de cardiologista

O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), na Tijuca, informou na noite de domingo que o paciente Pedro Di Marco da Cruz, 65 anos, veio à óbito durante a madrugada.

Leia também: Idosos se aglomeram em posto de Copacabana para tomar vacina contra a gripe

"O paciente deu entrada em nossa emergência no último dia 19 com quadro gripal. Por conta das suas comorbidades e, por segurança, o mesmo foi isolado e testado para Covid-19, conforme recomenda o protocolo", informou em nota.

O hospital ainda aguarda o resultado do exame. "Só é possível afirmar se o seu falecimento foi motivado pelo novo coronavirus após esse laudo", ressaltou o hospital que se solidarizou com familiares e amigos do paciente. Pedro da Cruz era cardiologista do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários