Agência Brasil

Morro afetado pelas chuvas na Baixada Santista
Reprodução/TV Globo
Número de mortos no Guarujá após fortes chuvas segue crescendo

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR)  reconheceu de forma sumária o estado de calamidade pública na Baixada Santista por conta das fortes chuvas que atingiram a região nesta semana. Com a medida, as cidades vão poder ter acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais à população e reconstrução de estruturas públicas danificadas.

Desde ter ça-feira (3), equipes da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) estão em contato permanente com as Defesas Civis locais para auxiliar nas ações de resposta aos impactos provocados pelos temporais. O apoio do governo federal é complementar à atuação dos governos estaduais e municipais.

Após o reconhecimento da situação de emergênia , os municípios devem elaborar um plano de trabalho e encaminhar ao Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR). Para ações de resposta ao desastre, o apoio abrange a distribuição de kits de assistência humanitária (cestas básicas, água potável, kits dormitório etc.) e o repasse de recursos para a contratação de serviços como a limpeza de vias públicas.

Leia também: 6 mil desabrigados e 5 mortes são reflexo da forte chuva no Rio de Janeiro

Chuvas

As chuvas intensas na região da Baixada Santista na madrugada de terça-feira (3) provocaram, até o momento, 27 mortes . Há ainda 43 desaparecidos. A cidade do Guarujá registra 22 mortos e 37 desaparecidos, segundo a Defesa Civil do estado de São Paulo.

A previsão do tempo para esta quinta (5) na região é de céu nublado com possibilidade de chuva fraca e isolada ao longo do dia. O volume previsto de chuva não é significativo, inferior a 10 mm. No entanto, devido ao solo estar bastante encharcado e o acumulado em 72 horas muito elevado, o alerta para risco de deslizamentos permanece vigente.

    Veja Também

      Mostrar mais