Agência Brasil

Guarujá
Reprodução/TV Globo
Número de mortos no Guarujá após fortes chuvas segue crescendo

A Defesa Civil Nacional determinou Estado de Calamidade Pública no Guarujá, na Baixada Santista , devido às fortes chuvas que causaram mortes e destruição em várias localidades do município paulista. A portaria, com a medida, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (5).

Leia também: Governador do Ceará critica chefe da Força Nacional por elogios a amotinados

Últimos dados da Defesa Civil estadual indicam 22 mortos e 16 desaparecidos na região do Guarujá . Segundo a prefeitura, ao todo, sete morros foram atingidos, sendo dois com maior gravidade: o da Barreira do João Guarda e o da Bela Vista (Macaco Molhado).

Mais de 100 desabrigados estão acolhidos na Escola Municipal Dirce Valério, na Avenida Dom Pedro I, 340, no Jardim Tejereba. No local, eles recebem atendimento médico e psicológico, além dos cuidados básicos de alimentação, higiene e acomodações para descanso.

De acordo com a prefeitura, as chuvas no Guarujá atingiram o acumulado de 405 milímetros (mm) nas últimas 72 horas, sendo 282 mm só nas primeiras 12 horas, número superior ao previsto para todo o mês de março. Para a Defesa Civil estadual, esse volume de chuva é extremamente alto, considerando-se as medidas históricas no estado.

A previsão meteorológica para esta quinta-feira é de céu nublado com possibilidade de chuva fraca e isolada ao longo do dia. O volume previsto não é significativo, no entanto, devido ao solo estar bastante encharcado, o alerta para risco de deslizamentos permanece vigente.

Segundo a nota divulgada pela Defesa Civil, além do Guarujá, outros municípios da região também sofreram danos causados pelas chuvas: Santos (3 mortes e 5 desaparecidos) e São Vicente (2 mortes e 1 desaparecido).

Leia também: Joice Hasselmann passa por cirurgia para a retirada completa do útero

O órgão estaduall informou também que disponibilizou 19,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária aos municípios afetados, sendo 15,6 toneladas (colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável) para o depósito do Fundo Social de Santos.

De Santos, os materiais serão distribuídos mediante solicitação das defesas civis municipais. Também foram disponibilizados 1 tonelada (colchões) para o Guarujá e 2,9 toneladas (colchões, cestas básicas, kits de higiene, limpeza e vestuário) a Peruíbe.

    Veja Também

      Mostrar mais