Milícia arrow-options
Domingos Peixoto / Agência O Globo
Grupos paramilitares são a fonte de maior reclamação dos moradores da cidade

As denúncias contra milícias bateram recorde no ano de 2019 na cidade do Rio. E localidades da Zona Oeste lideram o ranking de ligações. É o que aponta levantamento feito pelo Disque Denúncia a pedido de O DIA .

Leia também: Ministério da Educação libera acesso ao resultado do Sisu

No ano passado, de um total de 45.531 ligações, 7.601 (16%) faziam referências aos grupos paramilitares . "São denúncias desde a localização de procurados a extorsões", afirmou o coordenador do programa, Zeca Borges.

No ranking geral de delitos denunciados ao telefone 2253-1177, a milícia saltou do quarto lugar em 2018, com 6.356 registros, para o segundo crime mais denunciado no Rio em 2019. O tráfico de drogas continua sendo o líder em denúncias, com 10.676 (23%) dos telefonemas ano passado.

Em 2019, o bairro de Jacarepaguá foi o líder em denúncias contra a milícia, com 1.282 ligações — Taquara (226) e Praça Seca (376). Muitas delas faziam referências aos milicianos que agiam na Favela da Muzema, onde, em abril, dois prédios construídos por paramilitares desabaram, deixando 24 mortos. Em seguida, ainda na Zona Oeste, os campeões de denúncias de atuação de milicianos são Campo Grande, com 503 registros, e Santa Cruz, com 401.

De acordo com o promotor Luiz Ayres, que atua com investigações na área criminal, milicianos mudaram a forma de matar nos últimos anos. "Quando os grupos surgiram, eles deixavam os mortos pela rua, como uma forma de recado. Mas isso deixava rastros para a investigação. Agora, eles desaparecem com os corpos", disse.

Leia também: Petistas admitem que abrem mão da Prefeitura por pré-candidatura de Haddad

Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), a Zona Oeste possui, no Estado do Rio, duas das cinco delegacias que mais registraram desaparecidos em 2019: Taquara (139) e Campo Grande (151). No período, o Gaeco, o grupo do Ministério Público, denunciou 1.060 pessoas e prendeu 336 milicianos .

    Veja Também

      Mostrar mais