Tamanho do texto

Declaração do secretário Jorge Seif foi feita nesta quinta (7), em audiência na Câmara para debater incidente ambiental que atingiu o litoral do Nordeste

Seif ao lado de Bolsonaro arrow-options
Reprodução/redes sociais
Secretário da Pesca declarou em transmissão ao vivo, ao lado de Bolsonaro, que o peixe é um animal inteligente e foge quando vê o óleo.

Os pescados do Nordeste  - que incluem os peixes e os frutos do mar -, não apresentam níveis de contaminação, segundo afirmou o secretário da Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura (MAPA), Jorge Seif .

A declaração foi feita nesta quinta-feira (7), na Câmara dos Deputados, durante a participação em uma audiência formada para debater o incidente ambiental que atingiu o litoral nordestino. 

Os produtos que saem do serviço de inspeção federal são testados e garantidos para consumo, segundo Seif. O secretário afirmou ainda que os protocolos aplicados em testes foram reforçados e que o sistema de inspeção nacional é reconhecido pela seriedade metodológica. 

Leia mais: Manchas de óleo no Nordeste: mineiro piora e é internado após banho de mar

"Até o momento, os pescados recepcionados, sejam peixes ou frutos do mar, não apresentaram níveis de contaminação", afirmou o secretário, segundo informações apuradas pelo G1.

O medo de consumir produtos da região Nordeste após o incidente ambiental é considerado como normal pelo secretário. Mas Seif reforçou que não há contaminação. 

Durante uma transmissão ao vivo, realizada ao lado do presidente Jair Bolsonaro , o secretário disse que "o peixe é um bicho inteligente: quando ele vê uma manta de óleo, ele foge, tem medo. Então você pode consumir seu peixinho sem problema nenhum, lagosta, camarão, tudo. É perfeitamente seguro", disse. Na contramão, especialistas alertam para o potencial cancerígeno de algumas substâncias presentes no óleo. 

Leia também: Pesquisador contraria secretário de Pesca e diz que peixes são afetados por óleo

O governo está elaborando uma medida provisória para liberar recursos emergenciais para as pessoas que foram afetadas pelo derramamento. O secretário afirmou que a medida deve ser finalizada em novembro e vai atender marisqueiros e catadores de caranguejos.