Doadores de sangue possuem benefícios que são pouco conhecidos.
Agência Brasil
Doadores de sangue possuem benefícios que são pouco conhecidos.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, apenas 1,6% (aproximadamente 3.6 milhões de pessoas) da população brasileira doa sangue regularmente. Além de serem responsáveis por salvar inúmeras vidas, os doadores passam a ter benefícios em tarefas do dia a dia. Entretanto, esses benefícios são pouco conhecidos, inclusive pelos próprios doadores. Conheça alguns deles abaixo:

Leia também: O que acontece se não tirar o certificado de reservista? 


Todos os doadores de sangue têm direito à meia-entrada em estabelecimentos culturais, sendo necessário apenas apresentar a carteirinha de doador de sangue (explicaremos abaixo obtê-la). Além disso, um artigo na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) garante que o funcionário que doar sangue e apresentar comprovante da ação tem direito a um dia de folga a cada doze meses. 

Segundo a lei Lei n° 219/09, os doadores também têm o direito de utilizar a fila preferencial em estabelecimentos como bancos e supermercados. Além disso, alguns concursos públicos possuem isenção (total ou parcial) de taxa para os doadores e chegam a utilizar isso como critério de desempate. Em São Paulo, caso o cidadão tenha doado sangue três vezes nos últimos 12 meses, a isenção é total. 

Você viu?

Como obter a carteirinha de doador

As maneiras de conseguir a carteirinha de doador variam pelo Brasil. No Paraná, por exemplo, o cidadão deve ter doado sangue pelo menos três vezes no último ano para receber o documento. Já em São Paulo, basta solicitar o documento na hora de realizar o cadastro para doar sangue. 

Condições para doar

Para doar sangue, a pessoa deve ter dormido ao menos seis das últimas 24 horas e estar devidamente alimentada - respeitando o jejum mínimo de duas horas antes do processo. Além disso, é necessário respeitar o intervalo entre doações: dois meses para homens e três meses para mulheres. 

Leia também: CPF também é exigido para menor de idade: saiba como e onde emitir o documento 

Quem não pode doar?

Pessoas que estiverem gripadas, resfriadas ou com sintomas dessas doenças não podem doar sangue , devendo esperar até sete dias após o desaparecimento dos sintomas para realizar o processo. Grávidas e mulheres que deram a luz menos de 90 dias antes do procedimento também são impedidas de doar. 

Existem outras condições que proíbem, temporária ou definitivamente, a pessoa de doar sangue. São elas:

  • Amamentação: até 12 meses após o parto;
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem e/ou piercing nos últimos 12 meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação);
  • Extração dentária: 72 horas;
  • Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses;
  • Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses;
  • Transfusão de sangue: 1 ano;
  • Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina;
  • Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
  • Ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição);
  • Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade (definitiva);
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas (definitiva);
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis (definitiva);
  • Malária (definitiva).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários