Tamanho do texto

Doleira gostava de exibir equipamento com roupas e sapatos de grifes; ela foi beneficiada por indulto editado por Michel Temer em dezembro de 2017

Pé de doleira com tornozeleira eletrônica e sapato de luxo
Reprodução/Instagram @nelma_kodama
Nelma Kodama, doleira da Lava Jato, publicou recentemente foto com a tornozeleira

A Justiça Federal de Curitiba autorizou a doleira Nelma Kodama a tirar a tornozeleira eletrônica. A decisão é do juiz Danilo Pereira Junior, da 12ª Vara da Justiça Federal.

A doleira costumava postar fotos com o equipamento nas redes sociais. Numa postagem recente, ela  publicou a imagem do seu pé com o equipamento ao lado de um sapato chanel.

Em foto enviada ao jornal O Globo , a doleira aparece sem o equipamento. Ela tem o prazo de cinco dias para devolvê-lo e terá que pagar cerca de R$ 8 mil pelos custos de manutenção.

Leia também: Polícia Federal não comprovou participação de amigo de hacker nas invasões

Conhecida por ter sido presa com 200 mil euros na calcinha em 2014, Nelma já havia sido condenada pelo então juiz Sergio Moro, por corrupção, organização criminosa e evasão de divisas. Posteriormente, fechou acordo de delação premiada com a Lava Jato .

A autorização para retirar a tornozeleira se deu com base no indulto natalino editado pelo ex-presidente Michel Temer, em dezembro de 2017. A norma prevê o cumprimento de um quinto da pena para não reincidentes.

Nelma cumpriu mais de três anos de prisão - entre os regimes fechado e aberto diferenciado. Com isso, o indulto foi concedido.

Leia também: Escritório do presidente da OAB perde contrato com a Petrobras

Atualmente, a doleira está voltada para o lançamento de um livro que deve contar sua história na Lava-Jato. Segundo Nelma, a obra será será lançado pela editora Matrix.