Tamanho do texto

Funai diz que equipes da Polícia Federal devem chegar à região do conflito por volta das 13h

Jair Bolsonaro arrow-options
Isac Nóbrega/PR
Jair Bolsonaro deve visitar terra indígena onde aconteceram conflitos

O presidente Jair Bolsonaro deve visitar nesta segunda-feira a terra indígena Waiãpi , no Amapá, onde um cacique foi morto após a região ser invadida por garimpeiros . A informação foi confirmada pela prefeita de Pedra Branca do Amapari, Beth Pelaes (MDB), cidade onde estão instaladas as aldeias atacadas.

Segundo a prefeita, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, confirmou a visita do presidente Bolsonaro à região. Procurado, o Palácio do Planalto ainda não confirmou a visita.

De acordo com um memorando da Funai , o ataque aos Waiãpi começou a ocorrer na terça-feira, dia 23. O cacique Emyra Waiãpi foi assassinado durante a invasão, mas ainda não se sabe detalhes sobre o crime. A secretária especial de Saúde Indígena, Silvia Nobre Waiãpi, é da mesma etnia que os índios atacados. A pasta é ligada ao Ministério da Saúde.

Índios da tribo Waiãpi arrow-options
Iphan/Heitor Reali
Índios da tribo Waiãpi

Leia também: Jaraguá é Guarani: Como vivem os indígenas no menor território demarcado

Mais cedo, a prefeita Beth Pelas havia informado que as equipes da PF e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) já estavam na região. No início da tarde deste domingo, a Funai informou em nota que a expectativa é de que as equipes cheguem ao local exato do conflito às 13h. Segundo o órgão, o local é de difícil acesso.