Tamanho do texto

Valor firmado foi de R$ 7.500,00 e Rafael Maia Martins pagou uma parcela antecipada de R$ 3 mil; polícia investiga se empresa responsável pela troca dos reservatórios do condomínio Minha Casa Minha Vida teve participação

Rafael Maia Martins
Luciano Belford/Agencia O Dia
Responsável por alugar guindaste, Rafael Maia Martins deixa 25ª DP (Engenho Novo) após prestar depoimento por quase quatro horas


O responsável por alugar um guindaste usado na tentativa de furto a um reservatório de água do Condomínio Bairro Carioca 1, do programa Minha Casa Minha Vida, em Triagem, depôs por quase quatro horas na 25ª DP, no Engenho Novo, Zona Norte do Rio, na tarde desta segunda-feira. Rafael Maia Martins pagou R$ 3 mil adiantados pelo maquinário utilizado no crime. O valor total do aluguel foi firmado em R$ 7.500,00.

Leia também: Bandidos usam guindaste para roubar caixa d'água em condomínio do Rio de Janeiro

A polícia quer entender qual era a intenção da retirada da caixa d'água com o guindaste . Cada estrutura vale cerca de R$ 260 mil e pesa 20 toneladas. Uma das suspeitas é de que os bandidos a revenderiam. Rafael Maia Martins trabalha com venda de sucatas.

Os investigadores da 25ª DP investigam se o Reservatório Tubular Alta (RTA) já estava vendido antes mesmo de ser retirado do Condomínio Bairro Carioca I.

Leia também: Tenente da PM é investigado por liderar grupo que extorquia traficantes no Rio

Ao menos cinco pessoas já prestaram depoimentos na 25ª DP. Os envolvidos ouvidos pela polícia afirmaram que não sabiam que os equipamentos alugados seriam usados para furtar o reservatório.

No dia do crime, um funcionário da empresa Direcional Engenharia, que é a responsável pelas trocas de reservatório de água do condomínio, foi visto ao lado dos criminosos. A polícia também investiga se houve participação dele na tentativa de furto.

Leia também: Cilindro de GNV explode, destrói posto e deixa três feridos no Rio; assista

Mais de dez caixas d'água já foram trocadas no condomínio, ao longo dos anos. Na semana passada, quando houve a tentativa de furto, quatro das estruturas estavam sendo substituídas. Para a polícia, os bandidos aproveitaram o serviço para tentar fazer o roubo sem levantar suspeita.

Ao sair da delegacia, Rafael Martins comentou apenas que já prestou os esclarecimentos: “Agora está nas mãos da polícia”, disse. O advogado que o acompanha e não quis se identificar disse que seu cliente “já prestou todos os esclarecimentos à polícia e agora cabe à autoridade policial dar o andamento às investigações”.

Além de Rafael, outras três pessoas que apareceram em imagens registradas pela TV Globo, tentando retirar a grande caixa d'água com um maçarico já foram ouvidas pela unidade na condição de testemunhas.

Na tarde de quarta-feira, homens foram flagrados usando dois guindastes para tentar roubar o reservatório de água do condomínio na Zona Norte do Rio.

O helicóptero da TV Globo flagrou o momento em que pelo menos três suspeitos participaram do crime. Dois deles estavam suspensos pela estrutura e usavam um maçarico para cortar a estrutura metálica. Um terceiro acompanhava a ação do chão.

Na ocasião, a PM enviou agentes do 3º BPM (Méier) ao condomínio e houve registros de tiros na região. Segundo a polícia, os agentes foram atacados por bandidos armados e, após vasculharem a área, localizaram os dois guindastes e conduziram quatro pessoas para a delegacia.

O inquérito foi instaurado na 25ª DP (Engenho Novo) para apurar se houve crime de tentativa de estelionato no condomínio. Os representantes das empresas contratadas para serviços no terreno foram intimados para prestar depoimento. As investigações estão em andamento.
A reportagem não conseguiu contato com as empresas Transforça Locação de Equipamentos e Direcional Engenharia até a publicação deste texto.

O condomínio

Com 2.240 apartamentos do conjunto habitacional erguido em Triagem abriga 112 edifícios. O condomínio foi construído em parceria da Prefeitura com o Governo Federal e inaugurado em 2012.

Atualmente, o Comando Vermelho (CV) controla os edifícios. Uma investigação da Polícia Civil aponta uma disputa em curso entre traficantes e milicianos, que tentam dominar o espaço.