Tamanho do texto

Uso do apartamento funcional do militar também é investigado; FAB se nega a fornecer informações da investigação contra o militar preso na Espanha

militar preso com cocaína
Reprodução
FAB fez buscas em imóveis de militar preso com 39 kg de cocaína na Espanha

A Força Aérea Brasileira (FAB) cumpriu mandados de busca e apreensão no imóvel funcional onde morou o segundo-sargento Manoel Silva Rodrigues, na Asa Sul, e também no endereço mais recente do militar, em Taguatinga. As buscas incluíram um cão farejador e foram acompanhadas pelo Ministério Público Militar (MPM). Ele foi preso na Espanha com 39 kg de cocaína , em 26 de junho.

Estas são as primeiras diligências desde a instauração do inquérito policial-militar (IPM) para investigar o segundo-sargento. A droga era traficada pelo militar dentro de um avião da FAB que dava suporte a uma missão de Jair Bolsonaro (PSL). A missão era a participação do presidente na reunião do G-20, no Japão, na semana passada.

A FAB, mais uma vez, negou-se a fornecer informações sobre os passos da investigação. Por meio do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, limitou-se a dizer que "diligências foram realizadas" em relação ao caso. A Força decidiu impor sigilo ao inquérito.

As informações sobre os mandados de busca e apreensão foram detalhadas pelo MPM, que passou a acompanhar o caso já nesta fase inicial de investigação. O prazo para a conclusão do inquérito é de 40 dias, prorrogável por mais 20 dias.

Leia também: Sargento preso com 39 kg de cocaína será ouvido por militares brasileiros

Os mandados da Justiça Militar foram cumpridos na manhã de segunda-feira (1º). Integrantes do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Brasília e da Polícia do Exército cumpriram os mandados, acompanhados da promotora de Justiça Militar Angela Taveira, designada pelo MPM para acompanhar o inquérito.

As equipes estiveram no imóvel funcional destinado ao segundo-sargento, ocupado por sua ex-mulher e seus dois filhos pequenos. Rodrigues já não morava ali há um ano e meio, e a destinação do imóvel, que é da União e administrado pela Aeronáutica, também passou a ser investigada pela FAB.

Já em Taguatinga, as buscas foram acompanhadas pela atual mulher do militar e por um advogado. Os integrantes da FAB e da Polícia do Exército apreenderam documentos, pendrive, notebook e celular.

As buscas não resultaram em apreensão de dinheiro, objetos de valor e drogas, segundo informação divulgada pelo MPM. No imóvel funcional da Asa Sul, documentos foram recolhidos pelos militares que participaram da operação.

A FAB também já ouviu o síndico do prédio onde fica o imóvel funcional ocupado pela ex-mulher do segundo-sargento da Aeronáutica, que segue preso em Sevilha, capital da Andaluzia, no sul da Espanha. O síndico foi ouvido ainda na sexta-feira (28), no dia seguinte à revelação do jornal O Globo de que o militar já não vivia no imóvel há um ano e meio. Na segunda, a Aeronáutica confirmou à reportagem que passou a apurar irregularidades na destinação dada ao imóvel funcional.

Leia também: 'Acontece em qualquer lugar do mundo', diz Bolsonaro sobre 39 kg de cocaína

Os questionamentos feitos ao síndico giraram em torno das questões relacionadas ao imóvel. Os investigadores questionaram, por exemplo, se ele tinha conhecimento de alguma irregularidade e se os pagamentos do condomínio estavam em dia. Ele confirmou que a ex-mulher do sargento segue morando no apartamento e que o militar já não morava ali há um tempo.