Tamanho do texto

Segundo nota do Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC), entre as presas nesta segunda-feira está Preta Ferreira, filha de Carmen Silva, principal liderança do movimento

prédio que desabou em São Paulo
Corpo de Bombeiros de São Paulo
Juiz entende que lideranças de movimentos sem-teto podem atrapalhar investigação sobre pre´dio que desabou em São Paulo


O juiz Marco Antônio Martins Vargas, da 26ª Vara Criminal de São Paulo, determinou a busca, apreensão e prisão temporária de nove lideranças de movimentos sem-teto na cidade de São Paulo. O pedido integra a investigação sobre o edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou no Largo do Paissandu, em maio de 2018.

Leia também: Ato lembra um ano de desabamento de prédio no Largo do Paissandu

Segundo nota do Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC), entre as presas nesta segunda-feira está Preta Ferreira, filha de Carmen Silva, principal liderança do movimento.

De acordo com o delegado André Vinicius Figueiredo, responsável pelo cumprimento das prisões , as detenções se deram para evitar interferência na investigação.

Em fevereiro deste ano, a polícia culpou três coordenadores da ocupação do edifício no centro de São Paulo pelo incêndio que ocasionou o desabamento.

Leia também: Bombeiros de SP ganham prêmio internacional por atuação no Largo do Paissandu

Segundo a investigação, havia cobrança dos moradores para garantia de segurança no local. Todos os movimentos negam as acusações.

Leia também: Fogo em museu e quedas de viadutos trouxeram à tona ineficácia do poder público

O incêndio no edifício Wilton Paes de Almeida se deu por um curto-circuito no quinto andar. De acordo com os responsáveis pela investigação, era obrigação dos coordenadores da ocupação do movimento sem-teto zelar pela segurança dos moradores e, portanto, fazer a manutenção no sistema elétrico.