Tamanho do texto

Sinalização temporária foi instalada em seis cruzamentos da avenida; evento em apoio à diversidade acontece neste domingo (23), do meio-dia às 18h

semáforos com casais homoafetivos
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Em apoio à diversidade, os semáforos ao longo da Avenida Paulista terão imagens de bonecos de casais homoafetivos

Quem for à Avenida Paulista neste domingo (23) para a 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo terá uma surpresa: em apoio à diversidade, os semáforos para pedestres em seis cruzamentos ao longo da avenida terão, em vez do símbolo convencional, imagens de bonecos representando casais homoafetivos.

Leia também: Parada do Orgulho LGBT deve atrair até 15% mais turistas a SP nesta edição

A iniciativa é da Prefeitura de São Paulo e da Secretaria de Mobilidade e Transportes, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), responsável pela confecção e instalação dos pictogramas. Na madrugada de domingo para segunda-feira (24), os semáforos voltarão a apresentar as imagens padrão.

semáforos da avenida paulista
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Os semáforos com casais homoafetivos são uma iniciativa da Prefeitura de SP e da Secretaria de Mobilidade e Transportes

As seis intersecções onde será possível encontrar a sinalização estilizada são:

  • Av. Paulista com Rua Augusta
  • Av. Paulista com Alameda Joaquim Eugênio de Lima
  • Av. Paulista com Rua Peixoto Gomide
  • Av. Paulista com Av. Brigadeiro Luís Antônio
  • Av. Paulista com Alameda Campinas
  • Av. Paulista com Rua Pamplona

A 23ª Parada do Orgulho LGBT acontecerá do meio-dia às 18h. A CET acionará um plano operacional de trânsito na região da Av. Paulista, Rua da Consolação e Centro. A interdição da Paulista, em ambos os sentidos, está prevista para as 10h, mas as transposições pela Av. Brigadeiro Luís Antônio, Rua Teixeira da Silva e Rua Carlos Sampaio/Maria Figueiredo permanecerão liberadas.

Leia também: Por oito votos a três, STF criminaliza homofobia no Brasil

O público total esperado no evento – outrora conhecido como Parada Gay  e que hoje abraça um grupo bem mais amplo de comunidades (Lésbica, Gays, Bissexual, Trans, Queer, Agênero, Gênero Flúido, Não Binário, Intersex, Assexual, Panssexual, Polissexual) – é de 3 milhões de pessoas.