Tamanho do texto

Marina Izidoro Morais, de 63 anos, foi arrastada após ter negado oferecer um balão de graça para o motorista em Taguaritinga; R$ 48 mil foram doados

vendedora
Arquivo pessoal
Vendedora foi arrastada por carro em taguatinga (DF)

Internautas criaram uma vaquinha virtual para ajudar Marina Izidoro Morais, de 63 anos,  arrastada por cerca de 100 metros por um carro — uma Mercedez-Bens, avaliada em R$ 200 mil —  em Taguatinga, no Distrito Federal. O caso ocorreu no último sábado, quando a diarista vendia balões próximo a um colégio onde era realizada uma festa junina.

Leia também: “Ele vai ter que pagar”, diz vendedora de balões que foi arrastada por carro

A iniciativa é dos administradores da página "Razões para acreditar", Vicente Carvalho e Marcelo Martins, que criaram recentemente uma plataforma de arrecadação online, a "Voaa" . A meta era conseguir R$10 mil, mas já foram doados mais de R$ 48 mil para a idosa em apenas um dia.

Marina trabalha como diarista e vende balões para complementar a renda. Com o valor doado, eles pretendem ajudar nas despesas da idosa, que vai precisar se afastar do trabalho por um tempo.

A idosa foi arrastada após ter negado oferecer um balão de graça para um motorista. Cada unidade custava R$ 10. Ficou acertado que ele levaria apenas um, e quando ela separava o produto, o vidro do carro foi fechado. Como os balões estavam amarrados no pulso de Marina, ela acabou sendo arrastada no asfalto. Ela teve ferimentos no rosto, nos braços e pernas.

O dono do carro que arrastou a idosa, o empresário William Wesley Leslei Vieira, prestou depoimento à polícia nesta terça-feira. Ele admitiu que dirigia o carro, mas alegou que "não percebeu que estava arrastando a idosa". Ele disse ainda que "só tinha R$ 25, por isso fechou o vidro" e "quando notou que o carro estava muito pesado, abriu o vidro e soltou os balões".
O caso está sendo investigado na 12ª DP, em Taguatinga.