Tamanho do texto

Segundo MP, Marcus Vinícius Vannuchi pedia propina para não investigar servidores; ele teria fraudado a separação para passar bens a ex-mulher

Prédio da Secretaria de Estado da Fazenda de São Paulo
Reprodução/Secretaria de Estado da Fazenda de São Paulo
Marcos Vinicius Vannucchi deixou o cargo de corregedor há três dias

Afastado da Secretaria da Fazenda do estado de São Paulo na semana passada, o ex-corregedor da pasta, Marcos Vinícius Vannucchi , foi preso na manhã desta quinta-feira (6), alvo de uma operação policial. Ele é acusado de cobrar propina para não investigar servidores acusados de corrupção.

Leia também: Para 35% dos brasileiros, golpe militar é justificável em cenário de corrupção

O Ministério Público apontou inconsistências no enriquecimento de Vannuchhi. Ele teria ao menos 30 imóveis registrados em seu nome. Chamou a atenção dos promotores que o ex-corregedor da Secretaria da Fazenda tenha passado todos os seus bens para o nome da ex-mulher quando se separou.

Para a Promotoria, a separação foi uma fraude. O servidor foi preso, inclusive, na casa da ex-mulher, em Itatiba, no interior do estado. Além do mandado de prisão, policiais cumpriram nesta quinta nove ordens judiciais de busca e apreensão.

Leia também: Candidatos à PGR defendem mais articulação para combater crime organizado

Vannucchi começou a ser investigado há dois anos, quando foi acusado de atrapalhar as investigações de um esquema de corrupção que ficou conhecido como "Máfia do ICMS ". Segundo denúncia aceita em agosto de 2017, por meio da fraude, 12 agentes fiscais cobravam propina de empresas para reduzir a cobrança da tarifa estadual.

Depois de descobrir o esquema, promotores apuraram se o corregedor tinha acobertado algum servidor ou punido quem colaborava com a Justiça. Na época, a Secretaria da Fazenda havia negado atos de "obstrução ou conluio" praticados pelo funcionário.

Leia também: Armas de fogo fizeram mais de 47 mil vítimas fatais no País em 2017, diz estudo

Vannucchi estava no cargo de corregedor-geral da Fazenda desde agosto de 2016 e, segundo a Secretaria da Fazenda , ele mesmo solicitou o afastamento no início da semana por motivos familiares. O Globo não encontrou, nesta quinta-feira, os advogados do ex-corregedor para comentar a prisão.