Tamanho do texto

Agentes efetuaram a prisão de três pessoas por suspeita de tráfico de drogas; foi a 6ª apreensão de entorpecentes no Aeroporto dos Guararapes em 2019

Droga apreendida
Divulgação/PF-PE
Cerca de 22kg da droga foram apreendidos, o que representa novo recorde histórico

Nesta semana, a Polícia Federal de Pernambuco realizou uma apreensão recorde e histórica de 22 kg de Skunk, conhecida como 'Supermaconha', no Aeroporto dos Guararapes - Gilbero Freyre, na cidade de Recife. Junto com os entorpecentes, foram presos Nicolas Cordeiro Cidade, Kaio de Oliveira Costa e Aniellen Pereira Batista pelo crime de tráfico de drogas.

Leia também: Polícia Federal deflagra Operação Alcatraz para combater fraudes fiscais

Esta foi a sexta apreensão de drogas realizada no Aeroporto dos Guararapes no ano de 2019. Até o momento, os agentes da PF prenderam 11 pessoas, sendo 4 homens e 6 mulheres, e 22 Kg de cocaína e 24,5 Kg de skunk.

As prisões aconteceram durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no aeroporto. Ao selecionar algumas bagagens a fim de que fossem submetidas ao aparelho de raios-x, perceberam que em três delas havia forte presença de material orgânico, bem característico de indicativo de conter drogas .

A ação teve seu desfecho quando os policiais identificaram os proprietários das respectivas malas. Ao serem abertas na presença dos donos, descobriu-se, escondido entre as roupas, vários tabletes de skunk, substância concentrada com alto teor de THC , também conhecida como ' Supermaconha '.

Ao todo, foram identificados 22 invólucros que, ao passar pelo exame narcoteste, resultaram positivo para skunk, totalizando um peso bruto de 22 Kg. Além da droga, também foram apreendidos documentos e quatro aparelhos celulares, cartões de embarque e passagens aéreas.

Também foi encontrada uma pequena quantidade de haxixe e ecstasy embalados à vácuo em poder de um dos suspeitos. Porém, em interrogatório, ele afirmou que as drogas seriam para consumo próprio.

Sobre o serviço de transporte da droga, eles revelaram que foram contratados por presidiários de Manaus e que receberiam cerca de R$ 3 mil, mas não deram maiores detalhes.  O Voo com os três passageiros saiu de Manaus (AM) e seguiria para Ilhéus (BA), onde o droga seria entregue aos traficantes.

Leia também: Moro pede abertura de inquérito sobre mortes em presídios de Manaus

Os suspeitos receberam voz de prisão em flagrante e conduzidos para a Superintendência da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabaram sendo autuados pela prática do crime de tráfico interestadual de entorpecentes. Caso sejam condenados, poderão pegar penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão. 

Sobre a droga

Apreensão Skunk
Divulgação/PF-PE
Conhecido como 'Supermaconha', o Skunk é mais forte e tem maior poder entorpecente

O skunk é plantado em ambiente controlado, buscando maior concentração do tetrahidrocanabinol, ou THC, substância psicoativa que é o principal responsável pelos efeitos alucinógenos.

Normalmente, a concentração de THC nos tipos comuns de maconha varia entre 2% e 4%. Já no Skunk varia entre 14% e 15%, mas, já foram apreendidos skunk com até 30% de THC, o que torna esse tipo de maconha ainda mais prejudicial e letal.

Leia também: Toffoli não tem 'procuração' do STF para negociar pacto, diz Marco Aurélio

Os sintomas da maconha são alucinações, perda do controle da concentração e coordenação motora, perda da memória, psicoses, esquizofrenia, neuroses, dilatação da pupila, olhos vermelhos entre outros.

Os efeitos do skunk são os mesmos da maconha, porém muito mais intensos, fazendo com que o cérebro do usuário acabe sendo “fritado”, ou seja, os danos cerebrais são mais intensos e danosos.