Tamanho do texto

Denis Furtado dá cursos de capacitação a médicos e profissionais de saúde

IstoÉ

Denis Furtado
Reprodução/Fernando Frazão/Agência Brasil
Mesmo sem registro, "Doutor Bumbum" segue trabalhando com medicina

Denis Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, foi preso em julho do ano passado pela morte da bancária Lilian Calixto, paciente que teve a substância PPMA injetada nos glúteos durante um procedimento estético no Rio. O médico ficou seis meses preso, conseguiu a liberdade, mas teve o registro profissional cassado . Agora, segundo o jornal Extra, ele ganha a vida dando cursos de capacitação para médicos e profissionais de saúde.

Leia também: Professor de jiu-jitsu é morto com tiro na cabeça no Complexo do Alemão

Em entrevista ao Extra, o " Doutor Bumbum " se diz inocente da acusação de homicídio doloso e afirma que os cursos capacitam os profissionais em “estética médica, terapias hormonais, ortomolecular e medicina integrativa no geral”. Ele, no entanto, não revela quanto cobra pelas aulas. O curso é prático e teórico, segundo Denis, com ele instruindo alunos a agirem em procedimentos estéticos nos pacientes.

Procurado pelo Extra, o Conselho Federal de Medicina ( CFM ) não se manifestou sobre o assunto. Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro ( Cremerj ), declarou que não cabe “emitir qualquer opinião a respeita de atividades que ele venha exercendo, já que ele não é mais médico, sem direito a recurso” e que “qualquer atividade que ele exerça no campo profissional da medicina é ilegal, devendo ser investigado pela polícia”.

Leia também: Obras de reconstrução do Museu Nacional começam este ano, diz diretor