Tamanho do texto

O suspeito se apresentou à delegacia na noite desta segunda-feira e alegou legítima defesa para o crime; investigação procura câmeras de segurança

IstoÉ

Larissa tira selfie no espelho
Reprodução/Arquivo pessoal
Larissa teve ferimentos na cabeça e não resistiu

A Polícia Civil pediu a prisão temporária do suspeito de ter  matado a pauladas a transexual Larissa Rodrigues da Silva, de 21 anos. O crime ocorreu na noite de sábado (4) na Alameda Tacaúnas, na Zona Sul de São Paulo. O caso foi registrado no 27º DP, no Campo Belo, como homicídio. Se a prisão for decretada pela Justiça, o suspeito será encaminhado para o 2º DP, do Bom Retiro. As informações são do G1 .

O suspeito se apresentou à delegacia na noite desta segunda-feira (6) e alegou que praticou o crime em legítima defesa. A investigação está buscando imagens de câmeras de segurança para saber como aconteceu o crime.

Leia também: Funcionária de padaria de SP questiona cliente sobre o que havia embaixo de saia

Uma testemunha contou à polícia que estava com a vítima, quando um homem não identificado em um carro quase os atropelou. Posteriormente, o autor retornou com o veículo, desembarcou com um pedaço de madeira, golpeando a vítima com o objeto.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, a PM foi acionada para atender a uma ocorrência de agressão e ao chegar no local encontrou a vítima caída com ferimentos na cabeça. O Samu foi acionado e socorreu a vítima ao Pronto Socorro Saboya, onde morreu.

Leia também: Tiroteio durante operação policial na Maré deixa oito mortos

O corpo de Larissa Rodrigues da Silva foi levado na madrugada desta segunda-feira para Fortaleza, no Ceará, onde será enterrado.