Tamanho do texto

Jovem é suspeito de integrar grupo miliciano responsável pelo furto do combustível do duto da Petrobras; segundo Inea, vazamento já foi contido

Vazamento gasolina Duque de Caxias
Divulgação/Prefeitura de Duque de Caxias
Vazamento aconteceu após tentativa de roubo em duto da Petrobras

A Polícia Civil prendeu na manhã da última quarta-feira (1º) um suspeito de participar da tentativa de furto de combustível, que resultou em um  vazamento de gasolina em Parque Capivari, em Duque de Caxias, no dia 27 de abril. O jovem de 21 anos é suspeito de integrar um grupo miliciano, que seria o responsável pelo furto do combustível do duto da Petrobras.

Leia também: Polícia do Rio faz operação contra milícia que atua na Muzema

O vazamento deixou pelo menos três pessoas feridas, entre elas uma menina de nove anos, que teve 80% de seu corpo queimado pelo combustível e está internada em estado grave.

O mandado de prisão temporária foi expedido pelo Plantão Judiciário. O suspeito responderá por tentativa de homicídio qualificado, furto duplamente qualificado, constituição de milícia privada, crime contra a ordem econômica e crime contra o meio ambiente. As investigações prosseguem para tentar identificar outros suspeitos.

Segundo a Polícia Civil , durante a tentativa do furto do combustível, ao furar o duto, o líquido jorrou a uma altura de dez metros, em alta temperatura. Várias pessoas tiveram que ser evacuadas de suas casas nas redondezas, por causa do forte cheiro e do risco de explosão.

Vazamento contido

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informou que já conteve o vazamento em Duque de Caxias, ocorrido na última sexta-feira (26). Apesar disso, o órgão continua no local para monitorar as áreas atingidas, adotando medidas de contenção, a fim de evitar a propagação dos danos ambientais.

Além de inspeção em terra, foi realizado sobrevoo da área, com apoio da Polícia Militar, para checar a extensão dos danos causados pelo vazamento de um duto da Transpetro, provocado provavelmente quando criminosos se preparavam para furtar combustível.

A equipe do Inea constatou contaminação do solo em  300 metros quadrados e forte odor de gasolina, sendo necessário o uso de equipamentos respiratórios na área, onde ainda há risco de explosão.

Limites

A licença de operação do duto foi concedida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já que sua extensão ultrapassa os limites do estado do Rio . “Com isso, cabe ao Ibama emitir constatação de danos e posterior multa. Também cabe ao Ibama conduzir estudo e avaliação quanto à contaminação do solo e do lençol freático”, informou o Inea.

O instituto acrescentou que acompanha e realiza controle criterioso das instalações e das operações das atividades que licencia.

A Transpetro informou, por meio de nota, que permanece investindo esforços na contingência decorrente de furto de combustível ocorrido na madrugada da última sexta-feira em um oleoduto em Duque de Caxias .

Leia também: Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira o maior prêmio de 2019: R$ 125 milhões

A empresa segue prestando a assistência às famílias vizinhas ao local da ocorrência. A companhia enviou, no dia do vazamento , dois especialistas em tratamento de queimados e uma equipe médica para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes e atua com a equipe que trata do caso da paciente Ana Cristina Pacheco , de 9 anos. Em nota, a direção do hospital informou que Ana Cristina permanece em estado de saúde grave com 80% do corpo com queimaduras.