Tamanho do texto

Operação foi deflagrada para aprofundar as investigações em relação à tragédia de Brumadinho; outros quatro mandados são cumpridos

 Fabio Schvartsman
Valter Campanato/Agência Brasil - 29.1.19
Casa do presidente afastado da Vale, Fabio Schvartsman, foi alvo de busca e apreensão

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira uma operação para aprofundar as investigações em relação à tragédia de Brumadinho . Entre os alvos da operação está o presidente afastado da Vale, Fabio Schvartsman . Agentes da PF cumpriram mandado mandado de busca e apreensão na casa do executivo.

Leia também: "Pigmeu, "fantoches", "petista"...o que o general Paulo Chagas falou sobre o STF

Segundo a Polícia Federal, o objetivo da ação era a apreensão de documentos relacionados à Vale . Além da casa de Schvartsman, agentes da PF também cumpriram um mandado no Rio de Janeiro e outro em Nova Lima (MG). Outros dois mandados foram cumpridos em Belo Horizonte. Os mandados foram expedidos pela 9ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte.

A barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho , se rompeu no dia 25 de janeiro. A lama que foi liberada destruiu construções e residências próximas à mina. Ao todo, segundo o último balanço da Defesa Civil, 229 mortes foram confirmadas. Outras 48 pessoas continuam desaparecidas.

Schvartsman se fastou do cargo em março, após pressão de promotores que investigam a tragédia. Ele pediu o afastamento ao Conselho de Administração um dia após a recomendação feita pelos integrantes do Ministério Público para que ele e outros 13 executivos da companhia se afastassem dos cargos.

"Estou absolutamente convicto de que minha atuação pessoal e a dos demais membros de nossa Diretoria, cujo afastamento é agora solicitado, foi absolutamente adequada, correta e, principalmente, fiel aos nossos valores inegociáveis de proteção à segurança das operações da companhia, e às diretrizes nesse sentido emanadas desse Conselho", escreveu na carta em que pediu o afastamento.

Leia também: Maia sugere "corujão" na CCJ pela Nova Previdência e volta a alfinetar governo

Em nota, a Vale afirmou que a empresa e seus empregados "têm apresentado, desde o momento do rompimento da barragem, todos os documentos e informações solicitados voluntariamente e, como maior interessada na apuração dos fatos, continuará contribuindo com as investigações."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.