undefined
Reprodução
Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, foi identificado com um dos atiradores do massacre em Suzano

A polícia informou na noite desta quarta-feira (13) que as investigações sobre o massacre em Suzano apontam que um dos assassinos dos alunos e funcionários da Escola Estadual Professor Raul Brasil matou o comparsa e depois se matou. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, teria atirado em Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e depois se suicidou. 

De acordo com a polícia, os dois tinham um pacto de que fariam o ataque e depois se matariam. E que andavam pesquisando na internet massacres em escolas dos Estados Unidos. Além dos assassinos, outras oito pessoas morreram no massacre em Suzano .

Uma fonte policial ouvida em sigilo pelo jornal Folha de S.Paulo afirmou que a dupla planejava o ataque há cerca de um ano e meio. Segundo a autoridade, Luiz e Guilherme conversaram sobre o ataque por meio de mensagens de texto. O teor das conversas não foi informado.

Uma das linhas de investigação da Polícia Civil é a de que o tio de Guilherme tenha descoberto o plano da dupla e, por isso, os criminosos teriam feito uma "queima de arquivo", antes de iniciar o massacre na escola. Outras linhas de investigação não foram esboçadas.

Leia também: “Não precisamos de mais armas”, diz Lula sobre massacre 

Aa investigações apontam ainda que as armas usadas no crime foram compradas por Guilherme, com o dinheiro que recebeu de um carrinho de cachorro-quente onde trabalhava. O valor das compras e onde foram feitas é verificado pela polícia.

Já o carro usado pela dupla , um Onyx branco, foi alugado por Luiz, segundo nota da Localiza, em 21 de fevereiro, com devolução para o dia 15 deste mês. A polícia também divulgou dois cadernos escolares apreendidos no carro usado pela dupla, nos quais há desenhos. O material será analisado por investigadores.

O massacre promovido por dois ex-alunos da escola ocorreu pouco após as 9h30 desta manhã. De acordo com a Polícia Civil, cinco alunos morreram, além de duas funcionárias da escola, o tio de um dos atiradores e os dois criminosos, que suicidaram no local após o crime. Ainda não se sabe a identidade das vítimas. 

Outras 21 pessoas foram encaminhadas para hospitais da região após o massacre em Suzano , entre feridos e outras pessoas que passaram mal. Não há informação sobre o estado de saúde delas. 

    Veja Também

      Mostrar mais