Tamanho do texto

Criminoso foi identificado por câmeras de reconhecimento facial no acesso ao bloco "As Muquiranas"; homem foi preso após ficar oito meses foragido

Câmeras flagram fugitivo em entrada de circuito Dodô na Bahia
Reprodução/Secretaria de Segurança Pública da Bahia
Câmeras flagram fugitivo em entrada de circuito Dodô na Bahia

As câmeras de reconhecimento facial instaladas nas ruas de Salvador flagraram, na noite desta terça-feira (5), um homem acusado de cometer homicídio e que estava foragido da polícia baiana. Vestido de mulher, o criminoso aproveitava um dos blocos mais famosos do Carnaval da Bahia, quando foi identificado e preso pelos policiais militares que faziam a revista.

Leia também: Bolsonaro publica vídeo obsceno no Twitter e sugere que cena é comum no Carnaval

Marcos Vinicius de Jesus Neri, de 19 anos, é do município de Lauro de Freitas e estava foragido há oito meses, com um mandado de prisão aberto desde julho do ano passado. O homem foi reconhecido pelas câmeras de segurança enquanto tentava passar por um dos portais de segurança instalados no circuito Dodô (que liga as praias de Barra e Ondina), a fim de participar do bloco “As Muquiranas” – bloco baiano em que os homens se vestem de mulheres.

Leia também: Folião morre agredido após vomitar em mulher em bloco de carnaval de Minas

Neri foi o primeiro fugitivo a ser capturado com o auxílio da tecnologia, implantada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia. O sistema de reconhecimento fácil é um software que compara imagens de câmeras de segurança captadas em tempo real com bancos de dados da polícia. Caso as imagens coincidam, os policiais recebem uma mensagem e decidem se a pessoa será abordada ou não.

Foragido estava registrado no banco de dados da polícia quando foi identificado por câmeras
Reprodução/Secretaria de Segurança Pública da Bahia
Foragido estava registrado no banco de dados da polícia quando foi identificado por câmeras

“Enganaram-se aqueles que acharam que, por ser último dia de festa, a secretaria iria baixar a guarda. Estamos atentos e o policiamento continuará intenso para garantir que os foliões brinquem em paz”, destacou o gestor da SSP Maurício Teles Barbosa. Os equipamentos foram usados pela primeira vez no Carnaval de Salvador e chegaram a identificar 460 mil pessoas por dia.

Leia também: Atropelamento e tiroteio deixam mortos e feridos no Carnaval do Rio; veja vídeo

De acordo com a secretaria, mais de R$ 18 milhões foram investidos no sistema de reconhecimento facial que prioriza identificar os criminosos mais perigosos e os que estão inseridos como “cartas no Baralho do Crime”. Além de serem usadas para encontrar foragidos, as câmeras de reconhecimento facial também ajudam a localizar pessoas desaparecidas.