Tamanho do texto

Ministro assinou a autorização hoje; está combinado que a Força Nacional ajudará na segurança por 15 dias, mas tal prazo ainda pode ser prorrogado

Sérgio Moro autoriza apoio da Força Nacional em operação da PRF nas estradas federais no Rio de Janeiro
Arquivo Agência Brasil
Sérgio Moro autoriza apoio da Força Nacional em operação da PRF nas estradas federais no Rio de Janeiro

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, assinou nesta sexta-feira (1º) a autorização para que agentes da Força Nacional atuem em ações de segurança nas rodovias federais do Rio de Janeiro.

Leia também: "Ninguém deseja a morte de criminosos", diz Moro ao defender projeto anticrime

De acordo com o documento assinado por Sérgio Moro , a Força Nacional vai atuar em apoio à Polícia Rodoviária Federal (PRF) pelo prazo de 15 dias, a partir de hoje. A decisão do ministro foi publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União (DOU).

Essa autorização foi dada pelo ministro do governo Bolsonaro a pedido da própria PRF. O apoio foi solicitado pelo diretor-geral da PRF, Marcos Furtado. De acordo com a portaria , a participação da Força Nacional será “na modalidade de patrulhamento motorizado, em caráter episódico e planejado”.

O contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública e a PRF. O apoio logístico será dado pela PRF, “que deverá disponibilizar a infraestrutura necessária à instalação de base administrativa da Força Nacional".

Sérgio Moro revoga nomeação de Ilona Szabó para conselho

Sérgio Moro revogou a nomeação de Ilona Szabó de Carvalho como membro suplente do Conselho
Divulgação/Governo de Transição
Sérgio Moro revogou a nomeação de Ilona Szabó de Carvalho como membro suplente do Conselho

Nesta quinta-feira (28),  Moro revogou a nomeação da especialista em segurança pública Ilona Szabó de Carvalho como membro suplente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. A decisão ocorreu após uma forte pressão de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) nas redes sociais.

"Diante da repercussão negativa em alguns segmentos, optou-se por revogar a nomeação, o que foi previamente comunicado à nomeada e a quem o Ministério respeitosamente apresenta escusas", diz a nota do ministro.

Mesmo recuando da indicação, o ministro defendeu a nomeação de Szabó para o órgão. "A escolha foi motivada pelos relevantes conhecimentos da nomeada na área de segurança pública e igualmente pela notoriedade e qualidade dos serviços prestados pelo Instituto Igarapé", escreveu Sérgio Moro na nota.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.