Tamanho do texto

Funcionários não receberão 13º salário; Universidade está em crise financeira desde 2014, com um déficit que ultrapassa R$ 245 milhões

Unesp gastou quase R$ 14 milhões com pagamentos de salários acima do teto em 2015
Reprodução/Wikipedia
Unesp gastou quase R$ 14 milhões com pagamentos de salários acima do teto em 2015

Servidores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) fizeram, nesta quinta-feira (14) pela manhã, um protesto em frente à reitoria da universidade, no centro da cidade de São Paulo. Eles afirmaram que até hoje não receberam o pagamento do 13º salário.

Leia também: Unesp divulga lista de aprovados na primeira chamada do vestibular de 2019

O Conselho Universitário da Unesp aprovou, no dia 22 de janeiro, o parcelamento do pagamento do 13º de 2018 aos servidores. Segundo a proposta eles receberiam 50% do valor em fevereiro a outra metade em maio.

Desde 2014 a Unesp passa por uma crise financeira . Em 2017 a universidade pediu ao governo do estado um crédito adicional de R$ 164 milhões para poder pagar os servidores. Em 2019, a Unesp pediu novamente por ajuda do estado. O valor de R$ 130 milhões tinha como objetivo o pagamento do 13º salário. O déficit da Unesp ultrapassa R$ 245 milhões.

Além da Unesp, USP e Unicamp também passam por dificuldades financeiras. O gasto com salários de funcionários e docentes das universidades estaduais paulistas é o maior gasto do orçamento.

Leia também: Unesp expulsa 27 alunos por fraudes no sistema de cotas para negros

Este gasto, no entanto, não se deve apenas ao grande número de contratados. Há, nas três universidades , diversas pessoas recebendo salários acima do teto. De acordo com documentos obtidos pela TV Globo , cerca de R$ 17 milhões por ano foram pagos extrapolando o teto na Unesp, USP e Unicamp. Só na Unesp foram gastos quase R$ 14 milhões em 2015 com esse tipo de pagamento. O teto para salário de servidores em São Paulo é o salário do governador, atualmente igual a R$ 22,3 mil.

Essa situação fez com que o Ministério Público de Contas do Estado de São Paulo entrasse, na quarta-feira (6), com uma representação com pedido de medida cautelar para que as três universidades parem de pagar salários acima do teto imediatamente. Se deferida, a medida implica também na devolução dos valores pagos irregularmente, sob pena de afastar os três reitores das instituições.

O cenário de crise levou a Universidade Estadual Paulista a  suspender o vestibular do meio do ano. A medida foi aprovada nesta terça-feira (12) e já vale para este ano. Eram selecionados pelo processo seletivo do meio do ano 360 estudantes para nove cursos de graduação de engenharia, localizados nos câmpus de Bauru, Ilha Solteira, Registro, São João da Boa Vista e Sorocaba.

Há 53 mil estudantes de graduação e de pós-graduação matriculados na universidade. A Unesp possui 34 unidades universitárias distribuídas em 24 cidades do estado de São Paulo.