Tamanho do texto

Cinco pessoas que estavam na lista de desaparecidos notificaram os bombeiros; 155 ainda estão desaparecidas e 160 vítimas foram identificadas

Equipes de resgate em Brumadinho em Minas Gerais
Ricardo Stuckert / Fotos Públicas
Equipes de resgate em Brumadinho em Minas Gerais

O número de mortos vítimas do rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho (MG) chegou a 166. Um novo corpo foi encontrado nesta terça-feira (12). Até agora, 160 pessoas foram identificadas.

Leia também: Executivos da Vale negam que empresa sabia sobre risco de rompimento de barragem

De acordo com informações da Rede Record , cinco pessoas que constavam na lista de desaparecidos da tragédia de Brumadinho notificaram o Corpo de Bombeiros no início desta semana. Elas estavam abrigadas na casa de parentes.

Esta quarta-feira (13) marca o vigésimo dia de buscas após a tragédia. De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da defesa civil do estado de Minas Gerais, o efetivo que trabalha nas buscas continua o mesmo. São 352 militares, sendo 150 de Minas Gerais e 129 de outros estados, 64 da Força Nacional e nove voluntários, divididos em 35 equipes.

Segundo Godinho, o que mudou foi a metodologia, uma vez que agora há um uso mais intenso de máquinas pesadas. Um total de 35 máquinas auxiliam o trabalho dos bombeiros. Além disso, também estão sendo usados 19 cães farejadores, 11 aeronaves e 250 dispositivos de geolocalização , que permitem acompanhar a localização dos bombeiros, que podem pedir socorro ou reforço.

A área de buscas foi dividida em cerca de 200 “micropontos”. De acordo com Eduardo ângelo, tenente-coronel do Corpo de Bombeiros , o objetivo é possibilitar o maior alcance possível dos trabalhos."Nossa expectativa é que, dentro em breve, a gente consiga varrer toda área à medida que a gente for encerrando as quadrículas [micropontos]”, explicou

Por ora, os trabalhos se concentram na área administrativa, que engloba refeitório, casa e estacionamento. Buscas também estão sendo feitas na área da ferrovia, em áreas de acúmulo de rejeito e no Rio Paraopeba.

Nesta terça-feira (12), o governo federal liberou o benefício de prestação continuada (BPC) foi liberado para deficientes e idosos acima de 65 anos atingidos pelo rompimento da barragem . No total, 774 pessoas vão poder sacar o benefício a partir do dia 22 de fevereiro.

Leia também: Câmara anuncia criação de CPI para investigar causas da tragédia de Brumadinho

No dia 25 de janeiro, a barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, que pertence à Vale e está localizada em Brumadinho , cidade da Grande Belo Horizonte, se rompeu. Parte do município foi invadido pela lama e pelos rejeitos de minério, deixando centenas de mortos e feridos. Muitas das vítimas são funcionários ou terceirizados da própria Vale, que tinha um complexo administrativo no local.