Tamanho do texto

Contratos da concessão, a maior do País, devem chegar a R$ 71 milhões e valem por 20 anos; resultado da concorrência deve sair dentro de até 90 dias

Licitação de ônibus promete melhorias na frota da capital paulista
Arquivo Pessoal/ Bruno de Lima
Licitação de ônibus promete melhorias na frota da capital paulista

A Prefeitura de São Paulo abriu na manhã desta terça-feira (5) os envelopes com os nomes das empresas interessadas na licitação das linhas de ônibus da capital. A concessão vem se arrastando desde 2015 porque a concorrência foi contestada diversas vezes na Justiça e no Tribunal de Contas do Município (TCM). Atualmente, o sistema funciona por meio de contratos emergenciais.

Leia também: Prefeitura vai limitar recarga do Bilhete Único a partir de fevereiro; entenda

Na última sexta-feira (1ª), a prefeitura conseguiu finalmente derrubar uma liminar que impedia a realização da licitação de ônibus . Um empresário do ramo havia entrado com ação alegando irregularidades nos editais que acabariam por direcionar os resultados da concorrência.

A concessão é a maior do País e o valor dos contratos deve ultrapassar os R$ 71 milhões e valem por 20 anos. A expectativa é que os vencedores sejam divulgados em até 90 dias. Os contratos temporários vigentes hoje em dia são mais custosos e menos exigentes em relação às empresas de ônibus.

Leia também: Problema com infiltração faz prefeitura fechar trechos da marquise do Ibirapuera

O secretário municipal de transportes Edson Caram, afirma que a nova licitação vai modernizar o sistema de transportes, que passará a contar com ar-condicionado, Wi-Fi, conexão USB, maior quantidade de assentos, menos transposição de linhas e menos tempo de percurso. “O ganho que a população vai ter é muito grande", diz o secretário.

Os editais preveem aperfeiçoamentos no sistema, como ônibus menos poluentes e com metas de substituição dos veículos ao longo do tempo. O desenho das linhas também deverá ser alterado, com a eliminação de diversas linhas, que, segundo a prefeitura, se sobrepõem.

O sistema foi dividido em 32 lotes com três grupos: estrutural, local de articulação regional e local de distribuição. Mas apenas um dos lotes terá uma disputa real. As empresas Transunião e Imperial brigam pela atuação na região de São Miguel Paulista, na zona leste da capital.

Leia também: Movimento Passe Livre faz ato em São Paulo contra aumento na tarifa de ônibus

A licitação de ônibus abarcará os ônibus paulistanos que fazem cerca de 2,8 bilhões de viagens por ano, transportando uma média de 9,6 milhões de passageiros por dia. Rodam pela capital 14,4 mil ônibus em 1,3 mil linhas.