Tamanho do texto

Militares israelenses auxiliam nas buscas por vítimas da tragédia em Brumadinho; Golan Vach ressaltou a cooperação com bombeiros brasileiros

Militares de Israel auxiliam bombeiros de Minas Gerais no resgate em Brumadinho
Israel Defense Forces
Militares de Israel auxiliam bombeiros de Minas Gerais no resgate em Brumadinho

Os militares de Israel e o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que trabalham nas buscas por vítimas do rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG), afirmaram durante uma coletiva no fim da tarde desta terça-feira (29) que cerca de 15 corpos teriam sido encontrados hoje. O balanço oficial do número de corpos localizados no resgate em Brumadinho deve ser divulgado no início desta noite. Até agora foram confirmadas 65 mortes e 288 desaparecidos.

Chefe da delegação de Israel, o Coronel Golan Vach, afirmou que bombeiros israelenses e do Brasil estão trabalhando juntos no resgate em Brumadinho e que devem ficar no país até que não tenha mais atividade. “'O importante é que houve um desastre, um horrível desastre. Muitas pessoas morreram, a maioria delas ainda não foi descoberta. E agora, nesse momento, nós estamos aqui para ajudar”, ressaltou Vach.

Durante a entrevista, o coronel de Israel detalhou os equipamentos trazidos para o Brasil para auxiliar nas buscas. Segundo ele, a delegação possui câmeras normais (visuais), térmicas (no caso da pessoa estar viva), radares para o solo e para a água, câmeras de infravermelho, localizador de celulares, e 'câmeras finas' que podem entrar em lugares bem estreitos.

No entanto, Vach ressaltou que  os soldados são a ferramenta mais sofisticada trabalhando no resgate. Ele também destacou a cooperação e troca de informações com os bombeiros.

Leia também: "Tragédia era evitável", diz juíza que decretou prisão de funcionários da Vale

Representante do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o Coronel Erlon Dias do Nascimento também afirmou que a operação está ocorrendo de forma integrada e que homens brasileiros e de Israel estão localizando corpos. Ele refutou a ideia de que os equipamentos trazidos por Israel não ajudariam nas buscas por vítimas em Brumadinho e disse que o balanço da parceria entre brasileiros e israelenses é extremamente positivo. “Troca de experiências extremamente importantes e troca de tecnologia.”

De acordo com Nascimento, o volume de lama baixou bastante em alguns pontos e, portanto, já é possível visualizar alguns corpos ou “segmentos de corpos”. O coronel explicou que o processo de resgate acontece, primeiro, com trabalho visual, tecnológico, buscas manuais dos bombeiros ou outras forças e, a partir dessa localização, equipes integradas ou de bombeiros vão aos locais, é feito o resgate, o corpo é levado a um ponto específico e aí é dada uma destinação específica.

Leia também: Governo não vai interferir na direção da Vale, garante Onyx

Ao fim da coletiva, Amit Levi, tenente das forças israelenses que trabalha no resgate em Brumadinho foi apresentada aos jornalistas. Filha de brasileiros, a militar afirmou que o Brasil é, para ela, uma segunda casa. “O exército israelense vai fazer tudo o que for possível para resgatar as vítimas da tragédia de Brumadinho”, disse.