Tamanho do texto

Equipe de resgate tirou vítimas da tragédia do meio da lama e dos rejeitos

Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho
Reprodução/Record TV
Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho

Em meio a tragédia que assola a cidade de Brumadinho após o rompimento de uma barragem da empresa Vale, chama atenção o trabalho das equipes de resgate, comandadas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e pela Defesa Civil. Horas após o incidente, na tarde desta sexta-feira (25), câmeras da RecordTV flagraram um salvamento dramático.

Leia também: Bolsonaro sobrevoa Brumadinho e desabafa: "difícil não se emocionar"

O helicóptero do Corpo de Bombeiros ficou a menos de um metro do chão, que estava totalmente tomado pela pelos rejeitos, e um agente desceu para tirar uma das vítimas do meio da lama. Confira imagens do resgate dramático em Brumadinho no vídeo exibido pela RecordTV:

Já neste sábado (26), uma das responsáveis pela operação saiu do anonimato. A major Karla Lessa, de 38 anos, pilotava o helicóptero no momento do salvamento e foi a responsável pela manobra perigosa. 

Também em entrevista à RecordTV, Lessa, que é primeira mulher comandante de helicóptero de bombeiros militar do Brasil, disse que manter o helicótero tão perto chão é "como equilibrar uma vassoura na ponta dos dedos". Ela ressalta, no entanto, que o risco foi necessário, uma vez que a mulher resgatada corria risco de vida. A vítima não foi identificada, mas está internada em Belo Horizonte e seu estado de saúde é estável.

Entenda a tragédia em Brumadinho

Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale
Reprodução
Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale

Uma barragem da mineiradora Vale se rompeu  na Mina do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Após o incidente, a lama e os rejeitos invadiram a cidade, causando grande destruição. Um complexo administrativo da empresa foi completamente destruído. Até agora, onze mortes foram confirmadas e 296 pessoas são consideradas desaparecidas.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas