Tamanho do texto

É a 13ª noite seguida de ataques no estado; Ministério da Justiça anunciou reforço de 355 agentes da Polícia Rodoviária Federal para combater ataques

Criminosos atacaram ônibus e tentaram explodir túnel na 13ª noite de terror no Ceará
Reprodução/SVM
Criminosos atacaram ônibus e tentaram explodir túnel na 13ª noite de terror no Ceará

Mais um ônibus incendiado foi registrado durante a noite desta segunda-feira (14), na cidade de Guaiúba, Região Metropolitana de Fortaleza, no 13º dia seguido de ataques que atingem o estado do Ceará desde o dia 2 de janeiro. Outros suspeitos também tentaram instalar uma bomba em um túnel da capital, mas a polícia impediu a tempo. Não houve feridos nas ações.

Leia também: Ceará decide chamar policiais aposentados para tentar frear onda de ataques

Em mais uma madrugada de terror no Ceará , um ônibus foi incendiado em uma estrada no distrito de São Jerônimo, em Guaiúba. Segundo a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou o fogo. O veículo foi destruído e nenhuma pessoa foi ferida. 

A Polícia também flagrou um casal que tentava perfurar as colunas de um túnel no bairro Parangaba com uma furadeira. A suspeita é de que eles estavam tentando instalar explosivos , mas fugiram ao perceber a presença dos policiais. 

O Ministério da Justiça já anunciou que vai enviar mais um reforço para o estado. Dessa vez, serão 355 agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os policiais devem chegar ao estado nesta terça-feira (15) e trabalhar para evitar novas ações criminosas contra viadutos, torres de transmissão de energia e rodovias. O governo estadual também comunicou que convocará 1,2 mil policiais militares da reserva para combater os ataques.

Além destes, 406 agentes da Força Nacional e 143 policiais militares de outros estados foram deslocados para o Ceará para ajudar no patrulhamento das cidades. Ao todo, 205 ataques criminosos foram registrados em pelo menos 46 das 184 cidades do estado desde o dia 2 de janeiro. Segundo a Polícia Militar e a secretaria de Segurança Pública do estado, 360 pessoas já foram detidas.

Áudios compartilhados entre membros de facções revelaram que as ordens para as ações contra ônibus, prefeituras e prédios públicos partiram de dentro dos presídios. As autoridades apreenderam 407 celulares nas unidades prisionais do estado, no dia 6 de janeiro.

Na madrugada de ontem , a violência no estado se manifestou novamente na forma de explosivos implantados em uma ponte em Fortaleza, capital do estado. Além disso, bandidos metralharam a sede da Guarda Municipal e incendiaram um ônibus escolar no município de Saboeiro, interior do estado.

A ponte atacada pelos bandidos na segunda-feira (14) liga o Bonsucesso a outros bairros da região central de Fortaleza. De acordo com testemunhas, homens passaram em um carro e jogaram explosivos no local. Um dos artefatos explodiu. Moradores do local informaram que os telhados das residências tremeram durante a explosão.

Já a base da Guarda Municipal de Fortaleza atacada durante a noite fica localizada na Avenida Juscelino Kubitscek, no Bairro Passaré. De acordo com a Polícia Militar, os suspeitos passaram em frente ao local, atiraram e fugiram. No local funciona a inspetoria da Guarda Municipal de Fortaleza e estão guardados os veículos da Guarda e da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC).

Além dos  ônibus incendiados e dos explosivos em pontes e viadutos, uma granada foi encontrada na estação de metrô do São Miguel, no município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. Segundo a Polícia, o material foi encontrado no chão da estação e não chegou a detonar. O esquadrão antibombas foi acionado e usou um robô para recolher o explosivo.

Leia também: Em 12º dia de ataques no Ceará, criminosos explodem ponte em Fortaleza

A onda de violência no Ceará começou depois que o governo criou a secretaria de Administração Penitenciária e iniciou uma série de ações para combater o crime dentro dos presídios, como a apreensão de celulares, armas e drogas nas celas.