Tamanho do texto

O ataque cibernético atingiu quase todas as legendas representadas no Parlamento e vazou endereços, dados bancários e documentos sigilosos

Ataque hacker expôs dados confidências de centenas de políticos alemães
Pixabay
Ataque hacker expôs dados confidências de centenas de políticos alemães

Documentos internos de partidos e detalhes pessoais de centenas de políticos alemães foram publicados no Twitter, informou, nesta sexta-feira (4), a emissora local  RBB . O ataque hacker atingiu todas as legendas representadas no Parlamento, exceto a populista Alternativa para a Alemanha (AfD).

Leia também: Alinhados, Trump e Putin negam envolvimento russo nas eleições americanas

O grupo hacker  vazou dados confidenciais de celulares, conversas privadas, endereços de políticos e outros dados particulares, assim como documentos internos de partidos. As legendas atingidas são a União Democrata Cristã, o Partido Social-Democrata, a União Social Cristã, o Partido Verde, o Partido de Esquerda da Alemanha e o Partido Liberal Democrático.

A exposição dos documentos foi descoberta nessa quinta-feira (3), de acordo com a emissora alemã. No entanto os documentos foram publicados em dezembro por meio de uma conta no Twitter baseada em Hamburgo – os dados foram vazados como num calendário, com informações novas a cada dia.

A maioria das informações vazadas consistia de detalhes de contatos, como endereços e números de telefone celular. No entanto, em certos casos, também foram espostos documentos pessoais, incluindo dados bancários e financeiros, cartões de identificação e conversas privadas.

"O governo federal alemão está levando essa situação muito a sério", disse Martina Fietz, porta-voz da chanceler Angela Merkel. De acordo com a divisão de crimes cibernéticos do Escritório Federal de Segurança da Informação, os detalhes do ataque ainda não são sabidos.

Leia também: Trump assina ordem contra interferência estrangeira nas eleições dos EUA

"Não sabemos quem está por trás disso ou de onde os dados vazados vieram", disse um membro do órgão ao canal de televisão CNN . "Mas podemos afirmar que não há nenhuma preocupação quanto a segurança da rede do governo da Alemanha ", completou.

Nenhum dos documentos partidários continha informações altamente secretas. Os dados incluíam pedidos de emprego, memorandos partidários e listas de membros do partido. Alguns documentos tinham mais de um ano.

O ataque parece ter sido feito de forma arbitrária, pois nenhum padrão pôde ser detectado, embora nenhum partidário da AfD tenha sido vítima. Políticos estaduais e alguns artistas também foram afetados. 

Essa não foi a primeira vez que o governo alemão se viu na mira de um ataque hacker . Em 2015, o grupo pró-Rússia CyberBerkut assumiu a autoria de um ataque cibernético que deixou uma série de sites governamentais da Alemanha fora do ar.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.