Tamanho do texto

Médium precisou deixar a prisão para ser atendido em um pronto-socorro após uma infecção urinária, mas já retornou ao presídio nesta quinta-feira

Defesa entrou com pedido de habeas corpus para João de Deus
César Itiberê/Fotos Públicas
Defesa entrou com pedido de habeas corpus para João de Deus


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, deu prazo de 48 horas para que a Justiça de Abadiânia, em Goiás, informe o estado de saúde do médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus.

Com base nas informações,  Toffoli decidirá sobre o pedido de liberdade para João de Deus feito pela defesa do médium ao STF.

"Oficie-se, com urgência, mediante fax ou e-mail, ao juízo de Direito da Vara Única de Abadiânia (GO) para que, colhendo informações junto ao Núcleo de Custódia onde ele se encontra recolhido, informe à Corte, em até 48 horas, a sua atual condição, bem como se o estabelecimento em questão oferece assistência e t ratamento médicos adequados à situação ", decidiu Toffoli. 

O médium está preso desde 16 de dezembro sob a acusação de violação sexual mediante fraude e dois crimes de estupro de vulnerável.

O líder espiritual retornou ao presídio na madrugada de quinta . A defesa dele afirma que seu estado de saúde é “crítico” e pede para que a Justiça conceda prisão domiciliar ao homem, de 76 anos.

Na quarta-feira (2), um dos advogados do líder espiritual em Goiânia, Alex Neder disse que o médium começou a passar mal no último dia 26. “A situação dele, antes da prisão, já era diferenciada e preocupante. Com a prisão, a saúde dele se agravou”, reclamou Neder afirmando que a unidade prisional não tem infraestrutura adequada para atendimento em saúde.

No último dia 28, o Ministério Público de Goiás protocolou a primeira denúncia contra o médium, acusado de praticar abusos sexuais durante procedimentos espirituais na Casa Ignácio de Loyola, em Abadiãnia, no interior de Goiás. 

O médium foi denunciado por violação sexual e estupro de vulnerável. A denúncia se baseia no depoimento de 12 diferentes mulheres que, segundo o MP, fizeram os relatos à Justiça em tempo hábil para que uma denúncia fosse formulada contra o líder espiritual. 

João de Deus tem 76 anos, submeteu-se em 2015 a uma cirurgia e tratamento por causa de um câncer no estômago e, segundo a assessoria da Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium prestava atendimento espiritual, é cardiopata.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.