Tamanho do texto

Grávida e marido são mortos em arrastão em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; bebê nasce prematuro e segue internado em estado gravíssimo

Agente penitenciário e esposa grávida são assassinados durante arrastão em Duque de Caxias; polícia procura envolvidos
Reprodução/ Twitter Disque-Denúncia Rio
Agente penitenciário e esposa grávida são assassinados durante arrastão em Duque de Caxias; polícia procura envolvidos

Um agente penitenciário e sua esposa, grávida de seis meses, foram assassinados durante arrastão na noite desse domingo (30), em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Após ter sido morta, a mulher passou por um parto de emergência e o bebê segue internado em estado gravíssimo, no Hospital Adão Pereira Nunes.

Leia também: Datafolha: 61% dos brasileiros querem que a posse de armas de fogo seja proibida

O arrastão aconteceu na Avenida Pelotas, no bairro da Vila Sarapuí, na Baixada Fluminense. De acordo com informações da polícia, José Carlos da Rocha, 68 anos, morreu na hora com cinco tiros no peito, após ter reagido ao assalto. O agente era aposentado e trabalhou como inspetor na Colônia Agrícola de Magé, em município próximo a Duque de Caxias .  

Já Verônica Sousa Silva, de 27 anos, levou um tiro na cabeça e chegou a ser levada ao hospital com vida, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu.

O menino prematuro que nasceu do parto de emergência chama-se Davi e está internado na UTI neonatal do hospital, onde recebe atendimento médico.

Leia também: Prisão de piloto que espancou ex-namorada depende da Justiça, diz polícia

Além dos tiros que atingiram o casal, outros sete disparos acertaram a lataria do carro em que eles estavam, de acordo com a perícia que investiga o caso. Na manhã desta segunda-feira (31), a mãe de Verônica reconheceu o corpo da  grávida e do genro.

Os pais do bebê não foram as únicas vítimas do arrastão . Uma mulher identificada como Claudia Barreto Resende, que estava em um ponto de ônibus aguardando condução, foi atingida com um tiro na mão e levada ao mesmo hospital que o casal. A mulher está em condições estáveis e fora de risco.

O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) como latrocínio (roubo seguido de morte). Os criminosos conseguiram fugir antes que a polícia chegasse ao local.

Leia também: Homem corta cabelo e depois assassina cabeleireira em salão de beleza de Osasco

Um cartaz com a foto do agente penitenciário foi divulgado pelo Portal dos Procurados da Polícia do Rio de Janeiro, a fim de obter pistas sobre os envolvidos no crime em Duque de Caxias . É oferecida recompensa de R$ 5 mil por informações que levem aos criminosos.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.