Tamanho do texto

Verba vai enfraquecer forças como a PM, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros do Estado. Dinheiro será para despesas com salários e auxílio-alimentação

O Governo de SP acaba de dar um golpe na expectativa da população do Estado. Em um momento em que a segurança é um das pautas mais cobradas pelos eleitores, os cofres públicos da pasta sofrerá um baque de R$ 75 milhões.

Leia também: Juiz federal é condenado a pagar multa de mais de R$ 2 bilhões à União

Polícia civil
Arqujivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil
Polícia civil

Em decisão publicada no Diário Oficial do Estado, o Governo de SP anunciou que vai retirar os milhões da Segurança Pública e transferir para o Ministério Público Estadual. A verba será usada para bancar despesas como salários e auxílio-alimentação.

Na Polícia Civil, o rombo de R$ 2.275.000 acertará em cheio na inteligência e outros R$ 2.275.000 de tecnologia da informação. Da Polícia Militar de São Paulo, R$ 63.289.100 serão realocados, sendo R$ 7.989.100 de obras e instalações e R$ 55.300.000 de equipamentos e material permanente.

Outra força muito importante, o Corpo de Bombeiro s terá R$ 3.150.000 a menos, que iriam para equipamentos e material permanente. Também foram congelados R$ 6.285.900 da Superintendência da Polícia Técnico-Científica, sendo R$ 2.730.000 de obras e instalações e R$ 3.555.900 de despesas com tecnologia da informação. 

Leia também: Polícia descobre plano do PCC para assassinar ex-secretário da Segurança de SP

Dos R$ 75 milhões, R$ 9.658.000 serão destinados a aposentadorias, reserva remunerada e reformas, R$ 222.400 para contribuição a entidades fechadas de previdência, R$ 50.600.000 a pagamentos de salários e vantagens fixas de pessoal, R$ 604.450 para obrigações patronais, R$ 889.535 para auxílio-transporte, R$ 4.932.064 para indenizações e restituições trabalhistas.

Também serão destinados R$ 1.500.000 para diárias-civil, R$ 548.627 para outros serviços de terceiros (pessoa física), R$ 5.990.000 para auxílio-alimentação, R$ 54.924 para terceiros (pessoa jurídica).

"A segurança pública estará prejudicada a fim de que outras instituições infladas e deficitárias tenham suas contas equilibradas. São essas ações que demonstram os equívocos políticos de governantes que, apesar de discursarem sobre a prioridade da segurança pública, realocam seus recursos. Desta forma, a Polícia Civil continua sucateada, com diária redução de seus recursos humanos, recebendo um dos piores salários do Brasil, causando um enorme prejuízo para a população", afirmou a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, Raquel Kobashi Gallinati

Leia também: Doria anuncia cúpula da Segurança em SP e garante ação "implacável" contra PCC

Ao ser questionado, o Governo de SP  afirma que a transferência não trará prejuízos para a Secretaria de Segurança Pública. Porém, a pasta não pode servir de banco para retirada de verba. Vivemos uma fase, onde a segurança das pessoas precisa de investimentos urgentes. Hoje presenciamos uma derrota para o cidadão de São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.