Tamanho do texto

Decisão emergencial, que foi publicada no Diário Oficial da capital, aponta que, a situação na Marginal Pinheiros deve ser normalizada apenas em maio

Viaduto cedeu cerca de dois metros após um abalo na estrutura, e interrompeu o trânsito na Marginal Pinheiros
Reprodução/TV Globo
Viaduto cedeu cerca de dois metros após um abalo na estrutura, e interrompeu o trânsito na Marginal Pinheiros

A prefeitura de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira (23), que as obras de recuperação do viaduto que sofreu uma ruptura parcial na interligação da pista expressa da Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, na zona oeste da capital, devem demorar cerca de seis meses para serem concluídas. 

Leia também: Viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros fez prefeitura mudar rodízio de veículos

Segundo uma decisão emergencial, publicada no Diário Oficial do município nesta sexta, a obra teve contratação com dispensa de licitação da empresa JZ Engenharia e Comércio. O incidente envolvendo o viaduto agrava não só o já difícil trânsito da Marginal Pinheiros, como afeta o tráfego em toda a cidade, dado que muitos paulistanos buscam por alternativas de locomoção.

A estrutura cedeu cerca de dois metros, no último dia 15 deste mês, após um abalo na estrutura, interrompendo o trânsito na segunda via mais importante da capital paulista . Por volta das 9h de hoje, por exemplo, a cidade registrava 135 quilômetros de congestionamento, a maior parte, 61 Km, na zona sul, região mais prejudicada pelo bloqueio.

Frente ao caos paulistano causado pelo incidente, os taxistas que trabalham com a plataforma SPTaxi vão oferecer um total de 40% de desconto em corridas que tenham origem ou destino a área afetada pela interdição.

Leia também: MP quer multar prefeitura de São Paulo por falta de manutenção em viadutos

Além disso, a prefeitura se comprometeu em criar bolsões de estacionamento para facilitar o embarque e o desembarque dos passageiros de táxi em trechos críticos da cidade.

Na região da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Cegaesp), onde a circulação de veículos salta de 12 mil para 26 mil ao dia, devido às compras do Natal e Ano Novo, a situação também está caótica. A Ceagesp fica próxima à Ponte do Jaguaré .

Para conter o trânsito, a abertura dos portões para os caminhões foi antecipada em três horas, passando a abrir à meia-noite. A entrada de mercadorias no domingo, por sua vez, foi antecipada, passando a ser a partir das 20h (antes era às 2h). Por fim, duas novas entradas foram criadas, ampliando de cinco para 11 o número de faixas de acesso de caminhões.

Leia também: Obras no viaduto que cedeu em SP devem ser feitas sem licitação pela urgência

Em seu gabinete, o prefeito Bruno Covas criou o Comitê de Crise de Pontes e Viadutos, para lidar com a situação emergencial e verificar a segurança e estabilidade de outras pontes e das demais estruturas como o viaduto  da Marginal Pinheiros.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.