Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou que Polícia Federal vai abrir investigação sobre possível obstrução no esclarecimento do caso Marielle Franco
Reprodução/Youtube
Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou que Polícia Federal vai abrir investigação sobre possível obstrução no esclarecimento do caso Marielle Franco

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou nesta quinta-feira (1º) em Brasília (DF) que a Polícia Federal vai abrir uma investigação para apurar uma suposta obstrução na investigação do caso Marielle Franco, ex-vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL, por parte de uma "organização criminosa".

Leia também: Assessoras de Marielle Franco conquistam cargos de deputadas estaduais

Segundo o ministro, a investigação de uma possível obstrução no esclarecimento do caso Marielle Franco foi estabelecida após pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a partir de dois depoimentos de testemunhas colhidos por procuradores federais.

Apesar de não revelar a identidade das testemunhas, o ministro deu detalhes sobre a abertura do inquérito por parte da Polícia Federal. Segundo ele, a suposta organização criminosa que estaria desviando e praticando obstrução na investigação do homicídio inclui "a participação de agentes públicos, milicianos e a contravenção", e, portanto, a entrada da PF no caso se torna necessária "por envolver indícios de coação no curso do processo, fraude processual, favorecimento pessoal, patrocínio infiel, exploração de prestígio, falsidade ideológica, fraudes e um eventual crime de corrupção."

Leia também: Candidatos a deputado pelo PSL rasgam homenagem à Marielle Franco

Você viu?

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, prometeu que PF vai investigar obstrução na investigação do caso Marielle Franco por parte de uma organização criminosa
Isaac Amorim/MESP
Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, prometeu que PF vai investigar obstrução na investigação do caso Marielle Franco por parte de uma organização criminosa

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann , ainda fez questão de esclarecer que a Polícia Federal não está assumindo a investigação do próprio caso Marielle Franco, mas de uma possível obstrução nessas investigações que seguem sob responsabilidade do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

"Vai ter duas investigações em paralelo. A da morte de Marielle continua. Mas vai ter outro eixo, que vai investigar, seja quem está dentro do poder público, ou quem está fora. É uma investigação da investigação, vamos assim dizer [...] Se levar luz sobre quem matou Marielle Franco, é uma possibilidade, mas não é esse o objeto", disse Jungmann.

Vale dizer, no entanto, que em agosto deste ano, o ministro da Segurança Pública chegou a oferecer que a Polícia Federal assumisse a investigação principal do caso Marielle Franco. O presidente Michel Temer autorizou a atuação da PF no caso, mas, para que isso ocorresse, era preciso que os interventores federais na área de segurança do Rio de Janeiro fizessem o pedido oficialmente, mas a Polícia Civil do Rio de Janeiro recursou a oferta.

Leia também: Caso Marielle Franco completa seis meses e segue sem respostas

A ex-vereadora que era uma grande defensora das minorias e dos direitos humanos e que denunciava a atuação truculenta de policiais nas comunidades mais carentes do Rio de Janeiro e seu motorista, Anderson Gomes, foram brutalmente assassinados a tiros numa emboscada ainda em março deste ano. Até agora, porém, a Polícia ainda não esclareceu o  caso Marielle Franco .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários