Tamanho do texto

Juíza aceitou a denúncia do MP e decidiu pela prisão do médico Denis Furtado, acusado de homicídio qualificado, após morte de paciente no Rio

Justiça do Rio aceitou a denúncia do Ministério Público contra o ‘Dr. Bumbum’, acusado de homicídio qualificado
Fernando Frazão/Agência Brasil - 19.7.18
Justiça do Rio aceitou a denúncia do Ministério Público contra o ‘Dr. Bumbum’, acusado de homicídio qualificado

O médico Denis Furtado teve prisão preventiva decretada nesta sexta-feira (17) pela juíza Viviane Ramos de Faria, da 1ª Vara Criminal da Capital, que aceitou a denúncia do Ministério Público contra o ‘Dr. Bumbum’, acusado de homicídio qualificado pela morte da bancária Lilian Calixto, que faleceu em julho deste ano depois de passar por um procedimento cirúrgico estético.

Leia também: Doutor Bumbum diz que procedimento estético foi correto e justiça será feita

Ainda na decisão, a juíza decidiu por revogar a prisão temporária de Maria de Fátima, mãe do ‘ Dr. Bumbum ’, determinando que ela, a namorada de Denis, Renata Cirne, e a assistente do médico, Rosilene Pereira, cumpram medidas cautelares – tais como não frequentar a clínica onde foi realizada a cirurgia, não se ausentar do Rio e comparecer mensalmente à vara.

Sobre Denis, a magistrada destacou a gravidade do caso – ainda apontando que o réu, em sua conduta profissional –, não parece dar atenção à saúde de seus pacientes . Na decisão, a juíza ainda afirma que a prisão preventiva é necessária, uma vez que a liberdade do médico poderia perturbar a ordem e a tranquilidade públicas.

De acordo com Viviane, o acusado deve permanecer preso para que outros crimes sejam evitados, garantindo a instrução criminal. “Evidenciado está, portanto, a periculosidade do réu e a possibilidade de continuação da prática criminosa. Nesta senda, a liberdade do réu perturbaria a ordem e tranquilidade públicas, fazendo-se imperioso um decreto prisional”, escreveu.

Mãe de Dr. Bumbum é solta

'Dr. Bumbum' e a mãe ficaram foragidos após morte de bancária de Cuiabá
Reprodução/Facebook
'Dr. Bumbum' e a mãe ficaram foragidos após morte de bancária de Cuiabá

Na mesma decisão, a mãe do médico teve prisão temporária revogada. Ela e as outras envolvidas no caso da morte da bancária, porém, deverão obedecer as condições impostas pela Justiça do Rio nesta sexta.

Leia também: Tribunal nega liberdade a ‘Dr. Bumbum’, foragido desde a morte de bancária

“Neste diapasão, considerando a gravidade das condutas imputadas às rés, no sentido de terem auxiliado Denis Cesar Barros Furtado , dando-lhe o suporte necessário para realizar procedimentos estéticos mediante a aplicação de substância química em quantidade acima do recomendado e em local impróprio”, apontou.

“Colaborando para o resultado fatal e criando risco à vida de indeterminado número de pessoas, o acolhimento do pedido ministerial de aplicação de medidas cautelares diversas da prisão se impõe”, finalizou a juíza na decisão.

Relembre caso do médico conhecido por ‘Dr. Bumbum’

Dr. Bumbum e Maria de Fátima foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa
Reprodução/Fernando Frazão/Agência Brasil
Dr. Bumbum e Maria de Fátima foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa

 Denis Furtado tem 45 anos e foi preso em um centro empresarial da Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, alguns dias depois da morte de paciente. A mãe do médico, Maria de Fátima Furtado, também foi presa por participar do procedimento cirúrgico estético. Os dois foram levados para a 16ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro.

Leia também: 'Doutor Bumbum' é preso em centro empresarial na Barra da Tijuca

Segundo o médico, que ficou foragido por cinco dias, todos os exames compatíveis ao risco cirúrgico foram requisitados por ele. E que, portanto, “o procedimento foi correto, foi lícito”. “O que a paciente usou de medicamentos lá no [hospital] Barra D’Or eu não tenho ciência. Tenho certeza de que a minha atuação como médico foi correta”, defendeu-se.

A vítima era bancária de 46 anos, da cidade de Cuiabá, e viajou para o Rio de Janeiro para passar pelo procedimento chamado bioplastia, realizado no apartamento do médico – que não tinha autorização para atuar no estado do Rio.

Lilian passou mal e foi levada para o hospital no dia 14 de julho, pelo ‘ Dr. Bumbum’ , pela mãe dele, pela namorada, Renata, e pela técnica de enfermagem Rosilane Pereira da Silva. Mas acabou falecendo no dia 15 daquele mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.