Tamanho do texto

Mesmo após fim da greve, abastecimento em postos de combustíveis levará até uma semana para ser normalizado; Samu consegue operar só até amanhã e alunos da rede municipal terão merenda adaptada por falta de insumos

São Paulo terá 40% da frota de ônibus durante o fim de semana; operação na segunda-feira ainda é incógnita
Divulgação/SPTrans
São Paulo terá 40% da frota de ônibus durante o fim de semana; operação na segunda-feira ainda é incógnita

A cidade de São Paulo enfrenta rotina incomum neste fim de semana devido à crise de abastecimento desencadeada pela greve dos caminhoneiros, que entrou neste sábado (26) em seu sexto dia . De acordo com o Sindicato Comércio Varejista Derivados Petróleo Estado São Paulo (Sincopetro), 99% dos postos de combustíveis da capital paulista já estão com as bombas secas e, mesmo quando os caminhoneiros retomarem as atividades regulares, a situação levará ainda entre cinco e sete dias para ser normalizada.

A Prefeitura de São Paulo conseguiu  adquirir 240 mil litros de óleo diesel nessa sexta-feira (25) para manter os serviços de transportes na cidade. Mas, ainda assim, a SPTrans foi liberada a atuar com apenas 40% da frota de ônibus durante este fim de semana. A operação na segunda-feira (28) vai depender ainda de como estarão os estoques de combustível e se a prefeitura conseguirá adquirir mais óleo diesel.

Coleta de Lixo

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), informou que as concessionárias conseguiram adquirir combustível para a coleta de lixo domiciliar neste sábado. Desse modo, o serviço será mantido normalmente para esta noite e para esse domingo (27) durante o dia.

Os Ecopontos permanecem fechados, já que os resíduos coletados nesses locais são encaminhados a aterros localizados em rodovias federais e estaduais, muitas delas bloqueadas pelos caminhoneiros.

Os serviços de varrição na cidade continuam reduzidos, sendo mantidos dentro da normalidade apenas os serviços de coleta hospitalar, limpeza pós-feiras livres e o recolhimento de animais mortos.

Leia também: Ministro anuncia multa a caminhoneiros e diz que PF já pediu prisão de grevistas

Saúde

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo informou, em nota, que todas as unidades estão funcionando normalmente e que, até o momento, não houve registro de falta de medicamentos ou de outros insumos.

Com relação às ambulâncias, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) disse que conta com uma reserva de combustível para garantir o serviço até o fim do domingo.

Educação

As aulas na rede municipal de ensino estão mantidas para segunda-feira, mas os alunos terão um cardápio diferente na merenda, a ser definido de acordo com os insumos disponíveis em estoque nas escolas.

A partir de segunda também pode haver problemas na entrega do programa Leve-Leite. Houve redução de 69% no atendimento do transporte escolar nesta sexta-feira devido à paralisação dos motoristas. A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo pediu aos condutores que retomem o serviço para que o transporte seja realizado neste início de semana.

Leia também: Prefeito de São Paulo decreta estado de emergência e pode apreender combustível

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.