Tamanho do texto

Homem de cerca de 30 anos estava sendo resgatado do imóvel em chamas no centro de SP, quando o edifício desabou; sargento Diego relatou o ocorrido

Sargento Diego fala aos jornalistas sobre a tentativa de resgate de vítima que estava pendurada no prédio que desabou
Reprodução/Globo News
Sargento Diego fala aos jornalistas sobre a tentativa de resgate de vítima que estava pendurada no prédio que desabou

Foi registrada, nas primeiras horas desta terça-feira (1º), a cena mais dramática do noticiário brasileiro recente. O episódio aconteceu no centro da capital paulista. Nele, um homem aparece sendo resgatado do prédio no Largo do Paissandu, que foi atingido por um incêndio de grandes proporções. Porém, antes do resgate ser concluído, o edifício desabou, interrompendo o trabalho do sargento Diego e resultando no desaparecimento da vítima .

"A gente fez o melhor que podia", disse o sargento Diego , do Corpo de Bombeiros, sobre o triste resgate interrompido. Era ele quem, pessoalmente, conversava com a vítima – identificada apenas como Ricardo– e a orientava a respeito do procedimento de resgate. Segundo ele, se lhe fossem dados apenas mais 30 ou 40 segundos de resgate, o homem estaria a salvo.

O prédio de 24 andares que pegou fogo na madrugada desta terça estava ocupado por 92 famílias sem-teto. Ricardo estava na altura do 15º andar e estava pendurado do lado de fora no para-raio do prédio. Segundo o sargento, a vítima esclareceu que não havia ninguém ali além dela. 

Em entrevista coletiva concedida na tarde de hoje, o bombeiro relatou à imprensa que teve que abrir um buraco na parede do prédio onde ele e companheiros do Corpo de Bombeiros estavam para tentar realizar o resgate. Os bombeiros estavam em um prédio ao lado do que pegou fogo, realizando o resgate, quando o edifício desabou e levou Ricardo junto.

Leia também: Briga de casal deu origem ao incêndio que desabou prédio em SP, diz testemunha

"Nesse momento, caíram pelo menos seis ou sete andares sobre ele", afirmou o sargento. "A equipe fica chateada, não tem jeito. Mesmo sabendo que a gente fez o melhor que podia", continuou. 

Segundo o oficial, não houve qualquer problema de equipamento ou de estrutura por parte do Corpo de Bombeiros. O resgate fracassou, porém, por conta do curto tempo e da situação inesperada. "Foi um caso atípico", disse.

Quando perguntado se já havia feito um resgate semelhante, o bombeiro respondeu que sim, no caso de tentativa de suicídio – mas jamais em casos como um prédio tomados por chamas.

Ricardo é tido como desaparecido

A vítima, segundo o bombeiro, era um homem de cerca de 25 ou 30 anos. Ele era moreno e tinha os cabelos curtos. Sua identidade completa, porém, ainda não foi revelada pela equipe de resgate, que o procura pelos destroços do prédio desabado. Por ora, a corporação considera que o morador, chamado apenas de Ricardo, está desaparecido. 

Leia também: Em vídeo, Boulos defende os sem-teto e exige investigações sobre incêndio em SP

"A gente sempre tem esperanças de estar vivo e que a vítima esteja viva. A gente vai lutar até o fim", afirmou, com esperança, o sargento Diego . Além desse morador, outras três pessoas são dadas como desaparecidas pelo Corpo de Bombeiros. Não há nenhuma morte confirmada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.