undefined
Reprodução/Twitter
Protestos contra o pedido de prisão do ex-presidente Lula estão acontecendo em todo o país desde a última quinta-feira (5)


Jornalistas e fotojornalistas foram agredidos na noite da última quinta-feira (5) nas cidades de São Paulo e Brasília. De acordo com nota da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), as ameaças e agressões partiram de pessoas contrárias ao mandado de prisão do ex-presidente Lula, ordenado pelo juiz Sérgio Moro .

Em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, o fotógrafo Nilton Fukuda da agência Estadão Conteúdo foi atingido com ovos por um manifestante. O caso aconteceu em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde militantes protestavam contra a ordem de prisão e davam apoio a  Lula .

Ainda no mesmo local, protestantes também atiraram ovos contra a repórter Sonia Blota, da TV Bandeirantes.

Em Brasília , ao menos 30 pessoas avançaram contra um veículo do Correio Braziliense e quebraram o vidro traseiro do carro. "Além da agressão física, os manifestantes também gritaram ofensas à imprensa e ao jornal”, disse a Abraji. Um repórter e uma fotógrafa do jornal estava dentro do veículo durante a agressão, mas ninguém ficou ferido.

Segundo o que o jornalista Renato Alves publicou em seu Twitter, os militantes não permitiram a saída dos profissionais. O caso foi informado para a Polícia Civil do Distrito Federal e registrado na Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado.


A agressão aconteceu durante um protesto em frente à sede da Central Única dos Trabalhadores ( CUT ), onde outros profissionais que cobriam a manifestação também foram hostilizados. Uma equipe de reportagem do SBT foi cercada e, segundo o cinegrafista Magno Lúcio, ameaçada com os dizeres “vocês vão sair daqui pro bem de vocês”, proferidos por um dos militantes.

Leia também: Defesa de Lula apela à ONU para evitar prisão do ex-presidente

Nota de repúdio da Abraji

Em nota publicada em seu site, a Abraji declarou repudiar os atos de agressão e hostilidade contra as equipes de jornalismo. “A violência contra profissionais da imprensa é inaceitável em qualquer contexto. Impedir jornalistas de exercer seu ofício é atentar contra a democracia. Os autores devem ser identificados e punidos pelas autoridades”, completou.

Lula não irá se entregar à Polícia Federal

O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) Rui Falcão confirmou, na manhã desta sexta-feira (6), que  Luiz Inácio Lula da Silva não irá se entregar à Polícia Federal, em Curitiba, até o fim do dia de hoje, como determina a ordem de prisão expedida pelo juiz federal Sérgio Moro. 

O petista ainda permanece na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), para onde se dirigiu no início da noite, logo após o anúncio da expedição do mandado de sua prisão por Sérgio Moro. Conforme a decisão do juiz, o ex-presidente tem até as 17h desta sexta-feira (6) para se apresentar na capital paranaense à Polícia Federal.  

Leia também: "Não podemos incendiar o País", diz Marco Aurélio sobre Lula não se entregar

Durante toda a noite, o ex-presidente esteve acompanhado pelos filhos e correligionários. O petista acabou não fazendo nenhum tipo de discurso, mas acenou e desceu para cumprimentar alguns de seus aliados. Ainda segundo o jornal, Lula  disse que estava tranquilo, bem disposto, e que já tinha feito seus exercícios matinais como faz todos os dias.

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários