Tamanho do texto

Governador Geraldo Alckmin participou da abertura da estação, que foi entregue incompleta, com um dos acessos ainda em fase de obras; entenda

Estação Oscar Freire ficará aberta em horário especial por 15 dias para realizar fase de testes
Reprodução/Facebook Metrô
Estação Oscar Freire ficará aberta em horário especial por 15 dias para realizar fase de testes

Depois de oito anos desde que a Linha 4-Amarela do Metrô na capital paulista começou a operar, a estação Oscar Freire foi finalmente inaugurada nesta quarta-feira (4) pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Leia também: Secretário de Transportes de SP é condenado por improbidade na Linha 5 do Metrô

No entanto, a estação foi aberta com apenas uma entrada, já que o outro acesso, que deve receber cerca de 23 mil pessoas por dia, ainda está em obras e só será liberado aos passageiros a partir do segundo semestre.

Segundo o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, o que atrasou o cronograma da entrega da obra do foi uma alteração no solo onde está sendo construído o acesso, localizado na avenida Rebouças, no sentido bairro.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo , ao questionar o governador sobre a abertura da estação do Metrô pela metade, Alckmin indagou: “Por que nós vamos provar a população deste que é o acesso principal?”.

Durante a presença do tucano na estação, alguns problemas técnicos foram detectados e funcionários tentavam arrumar uma das portas no sentido Luz, que estava emperrada.

Até o fim da semana, mais duas inaugurações do metrô estão previstas. Isso porque no sábado (7), Alckmin deverá deixar o cargo no governo de São Paulo para se candidatar à Presidência da República. Em seu lugar, atuará o vice Márcio França (PSB).

A estação Moema, da Linha 5-Lilás deve abrir na quinta-feira (5) e um trecho da Linha 15-Prata do monotrilho também será liberado na sexta-feira (6).

Atraso

As operações da primeira parte da Linha 4-Amarela era prevista para começar em 2008, com apenas seis estações. Já a segunda etapa, que incluía a estação Oscar Freire e outras quatro paradas, deveria ser entregue em 2010.

Porém, em 2007, um ano após ter sido assinado um contrato entre a empresa privada ViaQuatro e o governo do Estado, um acidente envolvendo uma cratera aberta na estação Pinheiros, quando ela ainda estava sendo construída, e que foi responsável por sete mortes, atrasou a entrega da primeira fase, que foi parcelada entre 2010 e 2011.

A segunda fase das obras foi iniciada em março de 2012. A ideia era trabalhar nas estações Higienópolis-Mackenzie, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi, Vila Sônia e Oscar Freire. Destas, Fradique Coutinho passou a funcionar em 2014 e Higienópolis-Mackenzie ficou pronta no início deste ano. Já as estações São Paulo-Morumbi e Vila Sônia devem ser inauguradas em julho deste ano e final de 2019, respectivamente.

Estação Oscar Freire

Localizada no Jardim Paulista, na Zona Oeste da capital, essa é a nona estação da Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro. Essa é a primeira rede metroviária paulista dirigida pela iniciativa privada.

Para acessar a bilheteria do metrô, os passageiros terão que descer 35 metros de profundidade através de quatro lances de escada.

Embora a tarifa seja cobrada normalmente, por enquanto, o horário de funcionamento da estação ainda é restrito, operando das 10h às 15h, pois ainda se trata de uma fase de testes. A expectativa é de que depois de 15 dias, o período de entrada e saída se iguale ao das outras estações - domingo a sexta das 4h40 à 0h, e sábados das 4h40 à 1h.

Leia também: Homem é "engolido" por escada rolante em estação de metrô; assista ao vídeo