Tamanho do texto

Publicação no Twitter foi feita um dia após o presidente Michel Temer autorizar o envio das Forças Armadas para o Rio Grande do Norte

Na última sexta-feira (29), o presidente Michel Temer autorizou o envio de homens do Exército para o Rio Grande do Norte
Twitter/Exército Brasileiro/Reprodução
Na última sexta-feira (29), o presidente Michel Temer autorizou o envio de homens do Exército para o Rio Grande do Norte

O general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, usou a rede social Twitter para criticar o emprego das Forças Armadas em ações de segurança pública nos Estados pelo Brasil. A mensagem foi publicada neste sábado (30), após o governador do Rio Grande do Norte transferir o controle operacional dos órgão de Segurança Pública do Estado para o general Ridauto Lúcio Fernandes , autoridade encarregada das operações do Exército na Região Metropolitana de Natal e na cidade de Mossoró até dia 12 de janeiro.

“Preocupa-me o constante emprego do Exército em “intervenções” (GLO) nos Estados. Só no Rio Grande do Norte , as Forças Armadas já foram usadas 3 vezes, em 18 meses. A segurança pública precisa ser tratada pelos Estados com prioridade “Zero”. Os números da violência corroboram as minhas palavras”, escreveu Villas Bôas.

As missões de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), segundo o Ministério da Defesa, são realizadas exclusivamente por ordem expressa da Presidência da República. No caso mais recente, o presidente Michel Temer autorizou, na sexta-feira (29) o envio de dois mil homens das Forças Armadas para o Estado nordestino. A região vivem semanas de violência, após os policiais militares e civis decretarem greve por falta de pagamento de salários.

Leia também: Comandante do Exército é convocado por Jungmann após polêmica sobre intervenção

A pasta explica também que as missões especiais ocorrem nos casos em que há esgotamento das forças tradicionais de segurança pública – como no caso da paralisação das atividades da policia –, em graves situações de perturbação da ordem. Em julho deste ano, Temer autorizou a atuação do Exército no Rio de Janeiro no combate ao crime organizado.  O presidente também liberou a atuação das Forças Armadas em Amazonas, para manter a segurança nas eleições realizadas no Estado.

Leia também: Polícia Federal encontra arma e 380 quilos de cocaína dentro de barco no Rio

Apesar da crítica a mais uma missão de GLO, na sexta-feira, o general Eduardo Villas Bôas também usou o Twitter para falar que, “ao findar 2017, mais uma vez o Exército estará junto à sociedade potiguar”. “Temos disciplina intelectual e acolhemos a decisão. Em qualquer momento importante e crucial para o brasileiro, estaremos #SemprePresentes.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.