Tamanho do texto

Em entrevista a TViG, o comandante da Polícia Militar detalhou ponto a ponto todo o trabalho desempenhado pela sua Tropa no Estado de São Paulo


O Portal iG teve o prazer de receber um dos principais nomes da Polícia Militar do Estado de São Paulo, o Coronel da PM Ambiental Alberto Sardilli visitou a TViG para contar como é o trabalho dos homens e mulheres sob o seu comando e alertar para um problema grave que acontece durante o ano inteiro, mas em especial nessa época de inverno acaba se intensificando, que é a soltura de balões. 

Leia também: Polícia Militar Ambiental atua para afastar balões de aeroportos em São Paulo

"É  uma satisfação poder falar um pouco da Polícia Militar Ambiental e principalmente alertar sobre esse crime que é a soltura de balão, ainda na cultura brasileira tido como uma coisa permitida, mas infelizmente algo que oferece riscos sérios para o meio ambiente e para o tráfego aéreo colocando em risco a vida de pessoas inocentes", disse o Coronel Alberto Sardilli .

Durante a entrevista para o Publisher André Jalonetsky, o Policial afirmou que a Polícia Militar Ambiental se encontra dentro da PM do Estado de São Paulo, mas é um comando especializado que trabalha com uma legislação específica com mais de oito mil normas a respeito da proteção ambiental. A corporação é formada por 2.220 PMs, quase 500 viaturas, um helicóptero e 300 embarcações (três para atuar no mar).

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende três homens com mais de mil peças de palmito

"Nós também cuidamos das áreas rurais mais remotas do Estado e temos estreitado a relação com o produtor para que ele fique protegido de roubos que acabam afetando comercialmente as pessoas. Temos o projeto de fazer demarcações das propriedades através de GPS e criar uma maior ligação com esse produtor", afirmou o Coronel.

Veja imagens do combate ao crime de soltura de balões


Crime de soltura de balão

De acordo com o Coronel, a PM Ambiental tem um trabalho voltado para educação ambiental no qual é importante fixar para as crianças a importância da proteção ao meio ambiente. "A ideia que a gente tem é de esclarecer para o professor para que ele alerte os seus alunos para a questão do risco e do crime que é soltar um balão. A criança pega gosto e estimula um crime que pode vir a ser maior", disse.

Leia também: PM Ambiental recupera mais de 100 pássaros e apreende balão de 40 metros em SP

Esse ano os homens da Polícia Militar Ambiental intensificaram o combate ao crime de soltura de balões. No total, foram 40 ocorrências e 42 artefatos apreendidos, além de prisões de suspeitos e também apreensão de veículos usados no delito. Segundo o Coronel, um balão de 48 metros chegou a ser apreendido em Campinas . "Um material desse porte pode derrubar um Boeing e causar até 300 mortes. Para vocês terem uma ideia, um orgão mundial ligado a pilotos civis rebaixou o Brasil na categoria de segurança de espaço aéreo por conta dos balões", afirmou o comandante.

Leia também: Polícia Militar Ambiental liberta onça parda na natureza

Antes de assumir a Polícia Militar Ambiental, o Coronel Alberto Sardilli comandou os Batalhões de Choque, no 2º Batalhão de Choque, Cavalaria da PM e na ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.