Familiares e vizinhos das vítimas da chacina que ocorreu entre a noite do último dia 4 e a madrugada do dia 5 , no bairo do Jaçanã, na Zona Norte da cidade, realizaram, neste sábado (15), uma passeata pedindo justiça e paz na comunidade. O ato foi organizado pela líder comunitária, Ednalva Nunes de Jesus, que conhecia todas as vítimas e suas famílias. Segundo ela, a passeate contou com o apoio dos familiares e amigos de vítimes de outras chacinas ocorridas na região metropolitana. 

"Não são filhos de sangue, mas são filhos de coração, conhecia todos desde criança. Nasceram juntos, cresceram juntos e morreram juntos. Queremos mostrar ao governador [Geraldo Alckmin] que não morreram bandidos, morreram pais de família, porque a imagem que estão passando é a de que eram todos marginais e não tinha nenhum bandido no meio", disse Ednalva sobre a chacina na região.

undefined
Reprodução/Twitter
Chacina ocorrida em frente a bar deixou seis mortos e três feridos na região do Jaçanã, em São Paulo

Leia também: Justiça determina novo julgamento dos policiais envolvidos no caso Carandiru

Ednalva disse que o objetivo da comunidade é mostrar que este tipo de crime não será aceito e cobrar investigações por parte das autoridades. "Nós vamos pressionar o governo a descobrir quem fez isso. Não queremos que isso vire estatística e fique por isso mesmo", explica. "Aqui é um bairro pobre, mal visto pela maior parte da sociedade, e pensam que por isso só tem bandido e é perigoso. Não é isso. As mães estão sofrendo e chorando e as crianças que ficaram sem pai também".

A chacina deixou seis homens mortos e três feridos na Rua Antônio Sérgio de Matos, no Jaçanã. Policiais militares foram acionados para atender a uma ocorrência de disparos de arma de fogo no interior de um estabelecimento comercial e, ao chegarem ao local, encontraram uma pessoa morta na rua e cinco dentro de um bar. Os feridos foram socorridos e levados para hospitais.

De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, uma pessoa foi presa suspeita de envolvimento na chacina. Segundo as informações, ela cumpre prisão temporária decretada pela Justiça. "O caso segue em investigação por meio de inquérito policial instaurado pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Outras informações não serão divulgadas para não prejudicar a investigação", diz a secretaria.

O registro do boletim de ocorrência aponta que um dos sobreviventes disse que dois indivíduos desconhecidos em uma motocicleta aparecerem no local. O homem na garupa teria feito diversos disparos em direção às pessoas que estavam em frente ao bar, baleando, Sidnei Rodrigues Cordeiro, de 38 anos.

Leia também: Alarme falso de tiroteio em metrô de Nova York deixa ao menos 16 feridos

Em seguida, o rapaz desceu da moto, entrou no estabelecimento, foi até o banheiro, onde cinco homens haviam se escondido, e disparou contra todos eles. Todos foram baleados e morreram: Valdir Ferreira de Souza, de 46 anos; Adriano dos Anjos da Silva, de 39; Wellington Claudino de Souza, de 35; Gilmar Vieira da Silva, de 39; e Luiz Fernando Ramos, de 39. O caso 

O caso foi registrado como homicídio qualificado no 73º Distrito Policial (DP) do Jaçanã e encaminhado para o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários