Tamanho do texto

Nesta sexta, governador Geraldo Alckmin anunciou que irá manter em 2017 as tarifas do Metrô e da CPTM; integrações, entretanto, ficam mais caras

Governador Geraldo Alckmin ainda não definiu se as tarifas intermunicipais terão aumento no ano que vem
Jeff Dias/ GESP
Governador Geraldo Alckmin ainda não definiu se as tarifas intermunicipais terão aumento no ano que vem

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) ainda não definiu se também irá congelar as tarifas dos ônibus intermunicipais que circulam pela Grande São Paulo e pelas outras quatro regiões metropolitanas do Estado: Baixada Santista, Campinas, Sorocaba e Vale do Paraíba/Litoral Norte. A decisão deverá ser anunciada na semana que vem.

Nesta sexta-feira (30), Alckmin confirmou que as tarifas praticadas no Metrô e na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), de R$ 3,80, serão mantidas em 2017 . A mesma decisão foi anunciada no dia anterior pelo prefeito eleito de São Paulo, João Doria, que também manterá a passagem dos ônibus municipais em R$ 3,80.

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) foi procurada pelo iG e informou que ainda não recebeu qualquer comunicação oficial do governo do Estado sobre as tarifas que serão praticadas no ano que vem. A empresa afirmou a questão deverá ser definida na próxima semana, mas evitou fixar a data.

Considerando as cinco regiões metropolitanas do Estado , a EMTU opera 936 linhas intermunicipais, sendo 561 na Grande São Paulo; 68 na Baixada Santista; 149 na Região Metropolitana de Campinas; 81 na Região Metropolitana de Sorocaba e 77 no Vale do Paraíba e Litoral Norte.

As tarifas praticadas atualmente nos ônibus intermunicipais variam de R$ 2,90 a R$ 46,50. Entre as linhas com a passagem mais barata está a 317, que é operada pelo consórcio Anhanguera e liga o centro de Francisco Morato ao Parque Paulista, em Franco da Rocha. O itinerário tem aproximadamente cinco quilômetros e é feito em menos de 15 minutos.

+ João Doria garante que não irá reajustar a tarifa de ônibus municipal

Já a linha cujo bilhete com bilhete mais caro entre as cinco regiões metropolitanas é a 5501, da Viação Litorânea, que liga o centro de São Sebastião, no Litoral Norte, ao terminal rodoviário de Taubaté, no Vale do Paraíba. A tarifa cheia é de R$ 46,50. Entretanto, são feitas cobranças seccionadas de acordo com o trecho que o passageiro utilizar. Por exemplo: quem embarcar em São Sebastião e descer no terminal de São José dos Campos pagará R$ 33,05. Se o indivíduo pegar o ônibus em Caçapava e descer em Taubaté, terá de desembolsar R$ 5,25.

Tarifas municipais

Na Grande São Paulo , pelo menos sete cidades terão aumento nas tarifas municipais. Em Barueri, Mauá e Osasco, o bilhete passará de R$ 3,80 para R$ 4,20 a partir da meia-noite do dia 31 de dezembro. Em Carapicuíba, o reajuste – também de R$ 3,80 para R$ 4,20, está vigente desde segunda-feira (26), enquanto em Santo André, a nova tarifa – no mesmo valor –, ficará válida depois do dia 3 de janeiro.

Em todas essas cidades, o aumento é de 10,5%: 4,1 pontos percentuais acima da inflação prevista para este ano, de 6,4%, conforme previsões do Relatório Focus, do Banco Central . Em Francisco Morato, a tarifa foi reajustada nesta sexta-feira (30) em 10,8%, passando de R$ 3,70 para R$ 4,10.

+ Temer sanciona renegociação de dívidas, mas veta socorro a estados em crise

Em Guarulhos, o aumento autorizado pelo prefeito Sebastião Almeida ( PT ) é de 18,4%, fazendo com que o preço do bilhete saltasse de R$ 3,80 para R$ 4,50 desde a última terça-feira (27). A elevação, entretanto, foi suspensa pelo juiz Alexandre Andreta dos Santos, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que determinou que o aumento só poderia ser aplicado após cinco dias úteis para proporcionar a divulgação adequada da correção tarifária. Com isso, a decisão final será do prefeito eleito, Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), que assume a prefeitura no dia 1º.

Integrações

Apesar de Alckmin ter anunciado o congelamento das tarifas do Metrô e da CPTM , a integração entre ônibus e trilhos terá aumento de 14,9%, passando de R$ 5,92 para R$ 6,80. O bilhete 24 horas passará de R$ 10 para R$ 15 e o bilhete 24 horas integrado terá o valor corrigido de R$ 16 para R$ 20. O bilhete mensal, que hoje está em R$ 140 e não é reajustado há três anos, passará para R$ 190, enquanto o mensal integrado vai de R$ 230 para R$ 300. Já o bilhete semanal será extinto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.