CPI da Covid investiga uso do tratamento precoce por médicos da Prevent Senior
Senado Federal
CPI da Covid investiga uso do tratamento precoce por médicos da Prevent Senior

CPI da Covid ouve nesta quinta-feira (16), a partir das 9h30, o diretor executivo da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, para prestar depoimento como testemunha.

A comissão quer investigar a empresa sobre uma possível pressão para que os médicos conveniados prescrevessem medicamentos do chamado tratamento precoce para a covid-19, sem eficácia e segurança comprovada, além de denúncias de pacientes da operadora, que teriam sido assediados para aceitar o tratamento precoce.

No requerimento de convocação aprovado, de autoria do senador Humberto Costa (PT-PE), o parlamentar ressalta que a aquisição, distribuição e indução ao uso dos medicamentos como a cloroquina e a hidroxicloroquina "que compõem com outros medicamentos o chamado kit covid e a terapêutica do ‘tratamento precoce’ eleita pelo governo federal como política pública para enfrentamento da covid-19, por diretriz do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), revela inadequado investimento de recursos públicos em medida sanitária desprovida de respaldo científico", avalia o senador.

De acordo com o parlamentar, que trouxe o caso para conhecimento do colegiado, a denúncia é objeto de avaliação no Tribunal de Contas da União, no âmbito de processo que está sendo movido por um grupo de profissionais médicos ligados à empresa.


Segundo Humberto Costa, diversos usuários da Prevent Sênior têm procurado os membros da CPI para denunciar essa política, e transcreveu no documento uma das mensagens recebidas:

O requerimento aprovado expõe ainda que os resultados do chamado "tratamento precoce" não se apresentam positivos, implicando, inclusive, em graves reações adversas e mortes de pacientes. "A divulgação desses medicamentos imbui nas pessoas a falsa crença de que existe prevenção medicamentosa, tratamento e cura para a covid-19, acentuando a negligência com medidas recomendadas cientificamente de distanciamento e isolamento social e uso de máscaras. Em abril de 2020, o governo federal aplicou recursos da ordem de R$ 1,1 milhão pelo Ministério da Defesa para a produção de 3,2 milhões de comprimidos de cloroquina pelo Laboratório Químico Farmacêutico do Exército para tratamento da covid-19."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários